2
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Dezenas de pessoas, dentre os quais muitos trabalhadores de bibliotecas, se reuniram hoje (12) na Avenida Paulista, em frente ao Parque Trianon, no Centro de São Paulo, para lembrar o dia do bibliotecário e protestar contra a possível privatização, por meio de organizações sociais (OSs), da rede municipal de bibliotecas públicas da capital paulista, apontada como a maior da América Latina.

A programação do “Leituraço”, como a atividade foi chamada, contou com atividades lúdicas, oficinas culturais, contações de histórias e apresentações artísticas e musicais. O Leituraço é a segunda ação realizada este ano com a mesma finalidade. No primeiro ato, realizado no último dia 25 de janeiro, mais de 500 pessoas estiveram reunidas num abraço simbólico ao Centro Cultural São Paulo (CCSP) para demonstrar sua insatisfação com a proposta.

“Foi bom o ato! Muita gente que estava passando por ali não tinha ideia da proposta de privatização das bibliotecas e parou pra nos escutar. Ouvimos blues, compartilhamos poemas, contações de história, juntou muita gente. Tivemos a presença dos vereadores Samia Bomfim, Toninho Vespoli e Eduardo Suplicy”, destacou Luciana Santoni, uma das organizadoras do ato.

Abaixo algumas imagens do ato:

Manifestantes preparam Leituraço na Avenida Paulista. Foto: Luciana Santoni / Organização do ato
Dezenas de pessoas compareceram ao ato. Foto: Luciana Santoni / Organização do ato
Programação musical durante o Leituraço. Foto: Luciana Santoni / Organização do ato
Manifestante protesta contra organizações sociais (OSs) na cultura. Foto: Luciana Santoni / Organização do ato

Atividades no Rio no dia do bibliotecário

No Rio de Janeiro os bibliotecários realizaram atividades em duas praças da cidade. Na Praça Edmundo Rego, no Grajaú, Zona Norte da cidade, o projeto “Biblioteca Sem Paredes”, idealizado pelo bibliotecário Charles Farias, realizou doação de livros aos transeuntes. Na Praça Granito, no Parque Anchieta, foram realizadas contação de histórias e outras atividades culturais.

No final das atividades na Praça Granito a bibliotecária Lucia Lino fez uma homenagem a Celso Lima Latini, coordenador da Comissão de Fiscalização do Conselho Regional de Biblioteconomia da sétima região (CRB7), que faleceu no final de 2016. Ela contou a história “Meu amigo partiu”, escrito por Andrea Viviana Taubman e ilustrado por Sandra Ronca.

Na ocasião os bibliotecários realizaram coleta de assinaturas ao manifesto que pede a reabertura das bibliotecas-parque do Rio e que será apresentado em ato no próximo dia 16 em frente a Biblioteca-Parque do Estado, no Centro do Rio.

As atividades deste domingo no Rio abrem a semana de comemoração da semana do bibliotecário. O restante da programação pode ser conferido clicando aqui.

Abaixo algumas imagens das atividades:

Bibliotecas sem parece distribui livros gratuitamente ao transeuntes. Foto: Célia Escobar / GIDJ/RJ
Bibliotecárias participam da ação do Bibliotecas sem parede. Foto: Célia Escobar / GIDJ/RJ
Bibliotecária Lúcia Lino compartilha histórias na Praça Granito. Foto: Lúcia Lino / Facebook
Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Sobre o dia do bibliotecário e outras críticas necessárias

Próximo post

Quer encontrar uma biblioteca comunitária perto de você? Esse aplicativo te ajuda

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *