1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Representante americana na Suíça, Suzi LeVine escolheu por conta própria usar o seu leitor digital na cerimônia

Para muitas pessoas, o papel ainda é um suporte sagrado para documentos oficiais, principalmente quando se trata do seu uso em eventos formais. Esse, no entanto, não é o caso de Suzi LeVine, a nova embaixadora dos EUA na Suíça: em cerimônia realizada em Londres, na última segunda-feira, a diplomata de 44 anos se tornou a primeira da História a fazer o seu juramento de posse usando um leitor eletrônico, carregado com uma cópia digital da Constituição americana. O ato ganhou às redes sociais por meio do perfil oficial da embaixada americana em Londres no Twitter.

A escolha pelo uso do dispositivo, ao invés de uma cópia em papel do documento oficial, foi da própria LeVine. Em entrevista ao jornal “The Sydney Morning Herald”, a diplomata disse que quis usar uma versão contemporânea da Constituição de 225 anos para simbolizar o melhor do seu país.

— Pense em quão visionários foram os nossos fundadores quando criaram o documento original, idealizando algo que poderia se adaptar às mudanças e condições da nossa grande nação — disse ela, que também expressou orgulho pelo ato.

— Como um das primeiras, se não a primeira a tomar um juramento oficial com um dispositivo eletrônico, estou honrando a inovação e o empreendedorismo americano, e o fato de que cada cidadão tem voz em nossa democracia, com cada vez mais ferramentas para fazer a sua voz ser ouvida — afirmou LeVine.

Apesar de inédita no corpo diplomático americano, a iniciativa já foi feita por outros profissionais: em fevereiro, bombeiros de Nova Jersey fizeram o seu juramente com um iPad exibindo uma cópia da Bíblia, na ausência de uma versão impressa do livro.


Publicado originalmente n’O Globo

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Sem profissionais, Iphan caminha para a falência, diz diretor

Próximo post

Museus federais

Sem comentários

Deixe uma resposta