Postagem anterior

Quadrinhos e Biblioteconomia

Próximo post

Charge Edição 11

15 Comentários

  1. Julio vitor
    15 de janeiro de 2013 a 19:14 — Responder

    Desnecssário.

  2. Frederico
    16 de janeiro de 2013 a 10:16 — Responder

    Isso nos faz refletir sobre o papel do CRB, que na verdade ainda é bastante não claro para muitos profissionais e principalmente para os estudantes.

  3. elizanela
    17 de janeiro de 2013 a 18:30 — Responder

    Acredito que o problema não seja a clareza das atribuições do CRB, Mas sim o que ele vem feito na prática quase NADA!!!
    eu estou comparando com outros conselhos que tem até taxas mais altas no entanto você vê alguma ação desse.

  4. Francisco C Souza
    1 de fevereiro de 2013 a 10:28 — Responder

    A cada dia mais se torna evidente a necessidade de os bibliotecários brasileiros avançarem na discussão da política e prática profissionais. Quanto mais avançarem nisso, poderão melhor distinguir o que de há muito deixam de fazer para dar força à sua profissão.

  5. Andréa Barboza
    20 de março de 2013 a 10:46 — Responder

    Sim, com os salários baixíssimos que ganhamos, parece mesmo um assalto. Não tem nenhuma inverdade nessa Charge.

  6. 20 de março de 2013 a 18:50 — Responder

    Não entendi porque tanta polêmica em cima dessa charge… É o sentimento de muitos!
    Conselho cobra caro e faz muito poucO!

  7. Aguinaldo
    20 de março de 2013 a 23:48 — Responder

    E ele disse "[…] parece até um ASSALTO". Imagina se fosse uma afirmação kkkkkkkkkkkk Sei não viu?!

  8. Rutonio Sant'Anna
    21 de março de 2013 a 6:59 — Responder

    Sem comentarios!

  9. Allan
    22 de março de 2013 a 15:49 — Responder

    liberdade de expressão!

  10. Milene
    25 de março de 2013 a 0:50 — Responder

    A charge reflete exatamente o que sinto quando chega o boleto da anuidade… é um dinheiro que vai embora sem dar retorno algum. Se incomodou o CRB7, é porque eles sabem o quão incompetentes são… poderiam utilizar a charge pra refletir sobre as ações, ou “inações” do mesmo.

  11. Alex
    7 de junho de 2013 a 14:34 — Responder

    Concordo com os demais amigos de profissão. Percebemos em nosso cotidiano uma falta de reflexão sobre as questões jurídicas e consequentemente políticas que o CRB como orgão representativo deveria no mínimo atuar e pleitear discussões. Vale ressaltar que a disseminação de informação é aliada da expressão, sendo uma prática muito consolidada na nossa profissão. Logo Vejo esta atitude de um orgão ser completamente contraditória, além de não representar ou mesmo ouvir aqueles que deveria representar.

  12. Rafael
    31 de janeiro de 2014 a 12:56 — Responder

    E o interessante é que o CRB7 só se manifesta no momento da anuidade. Site desatualizado, informações só nos chegam tardiamente. Horário de recebimento dos bibliotécários na sede não coincide com a maioria trabalhadores deste país. Só pago mesmo por obrigação, detesto esta entidade !!!

  13. […] pela Revista Biblioo diz repeito a questões referentes à taxa de anuidade cobrada pelo CRB 7 (http://biblioo.info/charge-edicao-10/ ). O editorial da edição 10, intitulado A nova Biblioteconomia, apresenta pontos e discussões a […]

  14. […] 2012 a Revista Biblioo publicou uma charge satirizando a questão da cobrança das anuidades, o que gerou uma condenação em processo […]

  15. […] caso do Chico de Paula, punido por causa de uma charge, é um exemplo claro do que chamo de dispositivo de vigilância profissional. Quando uma denúncia […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *