1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

No segundo dia do XX Encontro do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP), os coordenadores Estaduais de Bibliotecas Públicas deram continuidade às apresentações de suas ações.

Helena Carloni, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Acre, apresentou diversas ações desenvolvidas pelo SEBP/AC. Ela comentou sobre as Casas de Leitura do Acre, sendo três localizadas na capital (Rio Branco), uma no município de Sena Madureira e mais uma no município de Feijó; espaços alternativos como Quiosque da Leitura, brinquedoteca na Delegacia Especial de Atendimento à mulher; parceria com Arca das Letras, que instalou 23 pontos de leitura; maratona de contação de histórias; conversa ente escritores e leitores; participação do Projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas e no CDI Bibliotecas; organização do 2ª Bienal da Floresta do Livro da Leitura, com participação do Peru e da Bolívia. Helena destacou algumas dificuldades, tais como a falta de profissionais especializados.

O representando do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Roraima, Jaine Cruz, comentou que somente em 1990 foi inaugurada a primeira universidade em Roraima. “O estado caminho a passos lentos”, “muitas vezes usou de seus próprios recursos para visitar os municípios e realizar algumas ações”, destacou. Segundo Cruz, no momento o SEPB/RO ainda está se estruturando. Para 2016 estão planejadas visitas aos 15 municípios do estado.

Charles Costa, coordenador do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Amazonas, apresentou alguns projetos de sua gestão, tais como: distribuição de kists de livros para os municípios; apoio na aprovação da lei de criação da biblioteca pública de Presidente Figueiredo; projeto Leia Viajando; projeto Livro na Praça; projeto Acessibilidade em Bibliotecas Públicas, entre outros. Algumas demandas para 2016, segundo Costa, são: a realização do 1º Censo de Bibliotecas do Amazonas; implantação de Biblioteca em Envira; realização da Bienal do Livro e cursos de capacitação. Charles destacou a dificuldade do SEBP/AM em chegar até os municípios mais isolados e de dialogar com os gestores públicos.

Maria de Nazaré, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Rondônia, fez um histórico de mudanças das secretarias. Ela informou que em 2015 foi criada a Superintendência Estadual da Juventude, Esporte, Cultura e Lazer (SEJUCEL) e, segundo Nazaré, este não é o ideal para o estado. A coordenadora comentou algumas ações do estado, tais como: realização de conferências, efetivação do Plano Estadual de Cultura e Fundo Estadual de Cultura, mas, conforme seu entendimento, o estado não possui recursos para tais. Ela comentou que só em 2013 foi inaugurado o primeiro curso de Biblioteconomia na Universidade Federal do Rondônia.

A diretora de Leitura e Informação da Fundação Cultural do Estado do Pará, Giselle Arouck, falou representando o Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Pará. Ela começou relatando a dificuldade de acesso aos vários municípios do estado, onde muitos locais não possuem telefone e internet. Segundo Arouck, umas das metas do SEBP/PA é reduzir o déficit de bibliotecas públicas no interior. A diretora comentou ainda que muitas ações foram possíveis em 2015 através de  parcerias com empresas privadas. Arouck informou que em 2015 foram realizadas 28 visitas técnicas, modernização de 10 bibliotecas públicas no interior, doação de acervo de obras do Pará, doação permanentemente de acervo aos municípios, campanha permanente de recebimento de doação, realização do Encontro de Bibliotecas Públicas Municipais, entre outras.

Alessandra Batista, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Tocantins, explicou que assumiu em maio de 2015, por isso ainda está se inteirando das ações do SEBP/TO e tentando reestruturá-lo. Segundo ela, a Biblioteca Pública Estadual Darcy Cardeal está fechada desde 2011 e não há previsão para reabertura. Em maio de 2015 foi dado início a um levantamento da situação das bibliotecas públicas do estado. Alessandra constatou que até o momento 25 bibliotecas estão fechadas, sendo que 66 dos 139 municípios não deram retorno e as vistas ainda não foram concluídas. Algumas ações destacadas pela coordenadora foram: a articulação com a rede de leitura inclusiva em parceria com a Fundação Dorina Nowill; realização do I Encontro da Rede de Leitura Inclusiva no Tocantins; articulação e organização para realização do Encontro da Caravana do PNLL, entre outras.

Marta Sienna, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Paraná, destacou os projetos: Caixa Estante, Bibliopraia (tenda com cerca de 1200 livros nas praias, implantação e aperfeiçoamento dos serviços das bibliotecas públicas, guia de bibliotecas públicas. Segundo Marta, dos 399 municípios, o estado possui 484 bibliotecas públicas. Ela destacou ainda o projeto Biblioteca Cidadã, que tem por objetivo oferecer às regiões mais carentes do Estado do Paraná um equipamento cultural que promova a democratização do conhecimento, pelo valioso acervo de livros e pela possibilidade de inclusão digital, por meio dos telecentros.

A coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Santa Catarina, Gizelle Freitas, que assumiu o cargo há pouco mais de 30 dias, comentou que o estado possui bibliotecas fechadas, mas por conta de seu pouco tempo de atuação, não pôde especificar quais os municípios. Uma das ações apresentadas por Gizelle foi a “Semana da Criança”, que movimentou mais de 300 pessoas.

Rita de Cássia, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Espírito Santos, destacou o SEBP/ES de forma muito positiva. “Sinto orgulho de participar dessa equipe”, anunciou Rita. Algumas ações apresentadas foram: a Biblioteca Móvel; aquisição do software Sofia; Bibliotecas Transcol, que funcionam nos terminais de transporte público do estado. Segundo Rita, o Espírito Santo possui bibliotecas fechadas, mas ela não pode apresentar os dados mais detalhados.

Cleide Fernandes, representante do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de Minas Gerais, apresentou algumas ações do SEBP/MG, tais como: realização do IV Encontro do SEBP/MG em 2014; publicação do 1º edital do SEBP/MG para criação de 10 bibliotecas públicas municipais em 2015 e o recadastramento das bibliotecas junto ao SEBP/MG que está em andamento. Ainda segundo Cleide, em 2015 o SEBP doou 75.126 livros e constatou que existem 784 bibliotecas, sendo 727 municípios no estado.

Renata Costa, coordenadora do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas do Rio de Janeiro, comentou que existem no estado 381 espaços de leitura distribuídos pelo estado, sendo 153 bibliotecas públicas municipais. Algumas ações apresentadas por ela foram: doação de acervo, visitas técnica, encontros do SEBP/RJ, modernização de 40 bibliotecas públicas municipais, participação do projeto Iberbibliotecas e participação e apoio em feiras literárias.

Por fim, Aladia Siqueira, representante do Sistema Estadual de Bibliotecas Públicas de São Paulo, não fez uma fala, mas apresentou um vídeo atualizado com as ações do SEBP/SP.

Confira as fotos do dia:

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Coordenadores de bibliotecas públicas apresentam suas atividades durante encontro do SNBP

Próximo post

Doutores da Alegria leva cortejos natalinos a hospitais públicos

Sem comentários

Deixe uma resposta