0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Mais uma vez a Cinemateca Brasileira tornou-se foco do atual governo. Em maio deste ano, após a “saída” da atriz Regina Duarte ou da “transição”, como declarou o governo   federal, da Secretaria Especial de Cultura, esta recebeu a promessa de trabalhar na coordenação na instituição em São Paulo. A Secretaria Especial de Cultura passou a ser coordenada pelo ex-ator Mário Frias.

“Acabo de ganhar um presente, que é um sonho de qualquer pessoa de comunicação, de audiovisual, de cinema, de teatro: um convite para fazer Cinemateca, que é um braço da cultura, que funciona lá em São Paulo, e é um museu de toda a filmografia brasileiro, ficar ali, secretariando o governo dentro da cultura na Cinemateca. Pode ter presente melhor do que esse?”, disse Regina Duarte na ocasião.

Porém, a atriz não assumiu o cargo, pois havia impossibilidades jurídicas, entre elas a de que a Cinemateca Brasileira deixou de ser administrada pelo governo federal desde 2016. Neste ano, a gestão da instituição passou a ser através de uma organização social, isto é, foi adotado o modelo de administração privada em entidades públicas. A Cinemateca passou a ser gerida pela Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp).

Segundo a reportagem do Uol, em 2018 foi assinado um contrato de dois anos, onde os repasses seriam anuais. O orçamento para o ano de 2019 seria de 13 milhões, porém a Acerp recebeu apenas 7 milhões. Para este ano de 2020, a previsão do orçamento seria menor (11 milhões). É claro que a redução do orçamento acaba diretamente atingindo a conservação e a restauração do acervo.

O acervo da Cinemateca Brasileira é composto por 250 mil rolos de filmes e mais de 1 milhão de documentos diversos, como livros, periódicos, recortes de jornal, documentos, cartazes e fotografias. Em julho houve um protesto “SOS CINEMATECA – não deixe o nosso patrimônio virar cinza”, com a Carta dos trabalhadores da Cinemateca Brasileira sobre a situação da instituição. Clique aqui para ver o vídeo.

Na última sexta-feira, dia 07 de agosto, os funcionários da Cinemateca fizeram outro protesto com faixa SOS Cinemateca: Trabalhadores e Acervo em Emergência! com a participação da bateria da Torcida Jovem do Santos F. C. marcando presença na defesa da Cinemateca Brasileira. O protesto foi filmado e está disponível na página Facebook dos trabalhadores da Cinemateca Brasileira.

 Este dia foi marcado para a entrega das chaves e quem esteve em frente foi a Polícia Federal. Além das chaves, houve também a retirada dos funcionários da instituição. A equipe era formada por 64 funcionários.

Nesta segunda-feira, 10, a Veja São Paulo publicou uma reportagem com a informação de que o governo de Jair Bolsonaro liberou de 2,8 milhões de reais para seis contratos de manutenção do órgão. Dessa forma, o governo afirma que não pretende mais transferir a instituição da sede. Porém, continua com a disputa da administração da Cinemateca com a Fundação Roquette Pinto.

Nas redes sociais, os funcionários da Cinemateca levantam uma pergunta: “O governo pegou as chaves, mas quem cuida?”. Além desta pergunta, fica mais uma dúvida: será que os 2,8 milhões de reais dará para manter a instituição, haja vista que o orçamento em 2019 era de 13 milhões? Será que a Regina Duarte ainda assumirá a administração da Cinemateca Brasileira?

Como profissionais da informação, temos que ficar atentos e dar apoio à conservação e preservação do acervo audiovisual brasileiro que é tão rico. Não podemos deixar que o governo federal deixe que este acervo se deteriore por falta de verbas e pelo descaso de um governo que não prioriza e ainda persegue a cultura nacional.

Não podemos deixar que com os diversos problemas, entre eles o de saúde pública, que assolam o nosso país, permitam que “a boiada passe por cima” dos acervos e da cultura. Convido a todxs profissionais da informação a entrarem nesta campanha de apoio ao Audiovisual #SOSCinemateca #SOSTrabalhadoresDaCinemateca #CinematecaAcesa

Cinemateca Brasileira

Endereço: Largo Sen. Raul Cardoso, 207 – Vila Clementino, São Paulo – SP. CEP: 04021-070

Endereço eletrônico: https://cinemateca.org.br

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Live: Incidência política nas áreas de livro, leitura e bibliotecas

Próximo post

Em tempos de pandemia, congresso de leitura bomba na internet