0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por Railídia Carvalho, do Portal Vermelho.

Começam neste sábado (27) as audiências públicas para a elaboração do Plano Municipal de Cultura de São Paulo, documento que será a referência das políticas de cultura pelos próximos dez anos na cidade. Na opinião do secretário nacional de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (MinC), Guilherme Varela, a experiência na capital paulista “vai gerar outros processos no Brasil”.

Lançamento do plano de cultura em São Paulo. Foto: Leon Rodrigues/Secom/SP.
Lançamento do plano de cultura em São Paulo. Foto: Leon Rodrigues/Secom/SP.

Na quinta-feira (25) cerca de 500 pessoas participaram no Centro Cultural São Paulo do lançamento da minuta do plano, que será o ponto de partida para o debate.

“Para nós do ministério, é muito importante que São Paulo assuma esse Plano Municipal de Cultura por vários motivos, mas principalmente, porque ele será um espelho e a referência para vários municípios do país. São Paulo tem peculiaridades, complexidades, que organizá-las através de um plano de cultura é algo que, apesar de um desafio, de fato, vai gerar outros processos no Brasil”, afirmou o secretário nacional de Políticas Culturais, Guilherme Varela.

O prefeito Fernando Haddad (PT) explicou a importância do plano para que haja um pacto entre a sociedade e o poder público e também para assegurar continuidade nas políticas públicas. “Na cidade de São Paulo, quem é de esquerda faz de um jeito, quem é de direita faz de outro. Não há uma continuidade. Na Cultura, essa descontinuidade é aparentemente menos grave aos olhos do cidadão, mas para o setor é uma tragédia”, afirmou.

Nabil Bonduki, secretário municipal da Cultura, reconheceu que as iniciativas da prefeitura e os equipamentos ainda estão reunidas mais no centro e em áreas próximas do que na periferia. “Um dos objetivos do plano é reconhecer o que temos para saber o que precisamos fazer para ampliar as oportunidades e diminuir a desigualdade na cultura. Na cultura, temos um exemplo de desigualdades, que é uma das mais acentuadas, porque Educação e Saúde, bem ou mal, constituíram uma rede na cidade inteira, em todos os bairros, e isso se torna necessário para a cultura”, disse.

Observando os números do orçamento da cultura na cidade, a pasta da cultura é a que mais cresceu em recursos. O orçamento de 2013, ano do início do governo Haddad, foi de cerca de 341 milhões de reais enquanto a previsão para 2016 é de 636 milhões. O prefeito informou que estão sendo elaborados ainda uma lei para manifestações culturais da periferia, Lei de Fomento à Música e a criação do Conselho Municipal de Cultura.

Guilherme Varela - Secretário nacional de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (MinC).
Guilherme Varela – Secretário nacional de Políticas Culturais do Ministério da Cultura (MinC).

Guilherme avaliou que houve uma mudança nas reivindicações que o setor cultural traz para os governantes. “Saiu-se daquela época que o setor cultural só vinha pedir a pequenez, só vinha pedir o dinheirinho, só vinha pedir aquela coisa pontual. Hoje cria-se uma consciência de direitos no campo da cultura e o estado tem que estar à altura dessa consciência”.

Você pode ler o documento que será debatido nas audiências e consultas públicas que se encerram no dia 15 de março. As propostas que surgirem dos encontros serão sistematizadas até maio para nova rodada de debates. A previsão da prefeitura é que até julho o documento esteja finalizado para ser encaminhado para a Câmara Municipal.


Confira o calendário das audiências públicas regionais e temáticas e faça a sua inscrição.

Calendário de audiências públicas presenciais

Audiências Públicas Regionais

Zona Norte
27 de fevereiro
Das 9h30 às 19h
Local: Centro Cultural da Juventude – Avenida Deputado Emílio Carlos, 3641 – Vila Nova Cachoeirinha.

Zona Sul
28 de fevereiro
Das 9h30 às 19h
Local: Biblioteca Prestes Maia – Av. João Dias, 822 – Santo Amaro

Centro
5 de março
Das 9h30 às 19h
Local: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – República

Zona Oeste
6 de março
Das 9h30 às 19h
Local: Tendal da Lapa – Rua Guaicurus, 1.000

Zona Leste
12 de março
Das 9h30 às 19h
Local: Centro Cultural da Penha – Largo do Rosário, 20

Audiências públicas temáticas

Dança, economia da cultura, idosos, juventude e pessoas com deficiência
1º de março
Das 18h às 22h
Local: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – República

Audiovisual, circo, culturas indígenas, culturas negras, literatura, livro e leitura
3 de março
Das 18h às 22h
Local: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – República

Cultura digital, gênero e sexualidade, imigrantes, música e patrimônio e memória
8 de março
Das 18h às 22h
Local: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – República

Artes visuais, cultura da infância, culturas populares e teatro
10 de março
Das 18h às 22h
Local: Galeria Olido – Avenida São João, 473 – República

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Livros devem ficar mais caros no Brasil

Próximo post

Campanha na internet pede ajuda para construção de biblioteca

Sem comentários

Deixe uma resposta