1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Contar histórias de fantasmas exerce um atrativo irresistível na mente e na boca humana desde tempos imemoriais. Há sempre uma casa assombrada, um vulto atrás da porta, um passado macabro e algo para sacudir a imaginação. Elementos do folclore também estão presentes nesse tipo de narrativa que gela a espinha.

A paixão pelo sobrenatural impulsiona os escritos da jornalista e crítica cultural Mara Vanessa Torres, autora de terror, ficção especulativa e fábulas. Colunista da Biblioo há mais de dez anos, Mara Vanessa acaba de lançar seus dois contos “A Sombra do Pesadelo” e “Riacho das Almas”, ambos focados no terror folclórico e nas clássicas “ghost stories”.


A Sombra do Pesadelo é um conto ambientado no início do século 20. O ano é 1918. Uma influenza mortal começa a se espalhar pelo mundo, deixando milhares de cadáveres por onde passa com seu manto fúnebre. Em Axe Village, um pacato e bucólico vilarejo, a morte não tarda a chegar. Filha de aristocratas, Helen perde toda a família e cai doente. Quando recupera a consciência, descobre que tudo ao seu redor está muito diferente e nada voltará a ser como era. A peste pneumônica varreu boa parte dos moradores de Axe Village, deixando os sobreviventes em estado de catatonia. “A Sombra do Pesadelo” é uma ghost story baseada na atmosfera lúgubre e sepulcral que o mundo se tornou na segunda década do século XX, após ser assolado pela ‘gripe espanhola’, um vírus mortífero que fez a humanidade temer a própria sombra.

O enredo de Riacho das Almas foca no cenário sertanejo. Um riacho extinto no sertão profundo guarda um mórbido segredo. Cenário de dor e lágrimas, as águas espectrais buscam por novas e desavisadas vítimas. Uma delas, o jovem Simão, cego desde o nascimento, deixará o povoado Maloca, onde nasceu e cresceu — único lugar que conhece — e partirá em viagem para morar com o seu irmão mais velho, de quem foi separado após a morte dos pais. Na companhia do vaqueiro Riba, Simão escuta o canto doloroso da “lavadeira maldita”, entidade que vive assombrando a estrada deserta, local que testemunhou seu trágico desfecho. Inspirado na lenda universal da “mulher de branco” e das “lavadeiras noturnas” (‘Lavandière de Nuit’), “Riacho das Almas” faz também uma releitura e homenagem ao famoso “canto das lavadeiras”, tradição folclórica do nordeste brasileiro.

Os contos estão disponíveis para aquisição em formato e-book no site da Infinitum Editora. Para adquirir A Sombra do Pesadelo: clique aqui. Para adquirir Riacho das Almas: clique aqui.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Comissão de Educação da Câmara aprova audiência pública sobre taxação de livros

Próximo post

Edital do Programa Nacional do Livro Didático é um retrocesso, dizem entidades