0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Do site inside.megamamute.com.br.

Apesar de os jovens serem o grande público da indústria de videogames, nós do Inside sabemos que é raro encontrar alguém com menos de quarenta anos que já não tenha jogado ou pelo menos acompanhado alguém jogar alguns dos clássicos que fizeram história no Brasil e no mundo.

Jogos como River Raid, Enduro, Pac-Man, Super Mario Bros, The Legend of Zelda, Donkey Kong, Sonic, Alex Kid, Top Gear, Street Fighter, Mortal Kombat, Final Fantasy, Castlevania, entre muitos outros, fizeram parte da infância e adolescência de milhões de pessoas. E mesmo com a nova geração de videogames, são muitos que ainda cultivam boas lembranças dos aparelhos de 2, 8, 16, 32, 64 ou 128 bits.

Museu do Videogame 1

Pensando em reunir os apaixonados por games, em 2011 o jornalista e curador Cleidson Lima criou o Museu do Videogame Itinerante, que é o primeiro museu dessa categoria do Brasil. Como o próprio nome já diz, o museu não possui sede fixa e nesse ano visitará cidades de todos os Estados do Brasil. Nesses 5 anos de exposições, mais de 450 mil pessoas conheceram o local que é um mix de relíquia e inovação.

Entre as relíquias do museu estão o primeiro console fabricado no mundo, o Magnavox Odyssey, de 1972; o Atari Pong (primeiro console doméstico da Atari), de 1976; Fairchild Channel F, de 1976 (primeiro console a usar cartuchos de jogos); o Telejogo Philco Ford, de 1977 (o primeiro videogame fabricado no Brasil); o Nintendo Virtual Boy, de 1995 (portátil da Nintendo que rodava jogos 3D); o Vectrex, de 1982 (console com jogos vetoriais que já vinha com monitor); o Microvision (primeiro portátil a usar cartucho), de 1979 e o R.O.B (robozinho lançado juntamente com o Nintendo 8 bits, em 1985).

Museu do Videogame 2

Um dos diferenciais do Museu do Videogame Itinerante é que, além de conhecer consoles e jogos raros, os visitantes também podem jogar em alguns videogames que fizeram história, tais como o Telejogo Philco-Ford (1977), Atari 2600 (1976), Nintendinho 8 bits (1985), Master System (1986), Mega Drive (1988), Super Nintendo (1990), Nintendo 64 (1996), Game Cube (2001), Sega Dreamcast (1998), Xbox (2001), Playstation 1 (1994), entre outros.

A ideia que promete resgatar 42 anos de história em apenas 15 dias, venceu o Prêmio Brasil Criativo, promovido pelo Ministério da Cultura, na categoria Museus. Depois de ter o maior número de votos na internet entre todas as 22 categorias, o Museu do Videogame também ganhou o primeiro lugar da votação na área em que disputou pela junta do prêmio, formada por curadores de renome nacional ligado à arte, cultura, história e empreendedorismo.

Com mais de 200 consoles, a exposição geralmente ocorre em shoppings e dentro de grandes centros de eventos. Em 2014, o museu contou com apoio da Intel, PlayStation, Oi, Kingston e Ubisoft.

Agenda itinerante

O evento começou sendo exposto apenas durante 15 dias do mês de fevereiro, no Campo Grande Game Show, em Campo Grande, capital do Mato Grosso do Sul. A exposição é uma das atrações, juntamente ao concurso de cosplay, concerto musical gamer, campeonato de League of Legend, concursos de Just Dance 2014, simulador de corrida e games para Wii U, Xbox One e Playstation 4. Com o sucesso da exposição e com parcerias de empresas ligadas às tecnologias, a exposição rodará o Brasil em 2015.

Segundo o colecionador, a previsão é que o museu receba mais de 1,5 milhões de visitantes em 2015. Para maiores informações, acesse a fanpage do Museu e não perca a programação dessa imperdível viagem pelo paraíso dos games!

[hr style=”single”]

Acompanhe a agenda do Museu do Videogame Itinerante: www.museudovideogame.org/agenda.

2015

11/04 A 26/04 | RECIFE – PE | SHOPPING RECIFE

27/05 A 14/06 | PELOTAS – RS | CENTRO DE EVENTOS FENADOCE

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Patrimônio fotográfico brasileiro

Próximo post

Pierre Lévy

Sem comentários

Deixe uma resposta