1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência, da Câmara dos Deputados, aprovou proposta que exige, nas bibliotecas públicas, a oferta de publicações acessíveis às pessoas com deficiência visual, como audiolivros, e de tecnologias que permitam o acesso ao texto escrito por vias alternativas.

O Projeto de Lei 3542/19, da deputada Edna Henrique (PSDB-PB), prevê a medida por meio de alteração na Lei do Livro. Essa norma já determina a inclusão de obras em braile nas bibliotecas públicas.

O relator, deputado Eduardo Barbosa (PSDB-MG), recomendou a aprovação. “A proposta atualiza a legislação de forma importante e coerente com a realidade das inovações”, disse. A Fundação Dorina Nowill para Cegos, continuou, estima que só 10% dos deficientes visuais sejam alfabetizados em braile no País.

A proposta tramita em caráter conclusivo e ainda será analisada pelas comissões de Finanças e Tributação; e de Constituição e Justiça e de Cidadania. O texto já foi aprovado pela Comissão de Cultura. Saiba mais sobre a tramitação de projetos de lei clicando aqui.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

“As bibliotecas memoriais existem como parte de uma missão de educação política”

Próximo post

Agnaldo Timóteo: o artista popular com tudo que o título carrega

Sem comentários

Deixe uma resposta