5
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A Lona Cultural Lídia Maria da Silva é uma espaço de cultural, existente há 14 anos no bairro do Jardim Catarina, em São Gonçalo, na região metropolitana do Rio. Criada em 2003, a Lona Cultural conta com uma capacidade de aproximadamente 450 pessoas, iluminação cênica e um palco central. É um dos poucos espaços culturais existentes no maior bairro plano da América Latina.

Neste local eram realizadas atividades culturais, rodas de capoeira, teatro, festivais de rap e também funciona um posto do programa Justiça Itinerante, que tem como um dos seus objetivos levar o poder judiciário até o cidadão. Todas essas atividades estão paralisadas desde fevereiro de 2017 quando uma forte chuva derrubou a estrutura da Lona e passados mais de seis meses nenhuma providência para a recuperação do espaço foi realizada pela Prefeitura de São Gonçalo. Com poucas opções de lazer no Jardim Catarina, a população local fica totalmente desprovida do acesso as programações culturais que atendiam as crianças, jovens e adultos da região.

Espaço cultural se encontra fechado há mais de seis meses. Foto: Rodolfo Targino / Agência Biblioo

Simone Chaves é moradora do Jardim Catarina há mais de 34 anos e lamenta o fato do espaço cultural se encontrar fechado e sem utilidade para os moradores da região. “Estamos perdendo um espaço cultural de grande valia para o bairro e a oportunidade de organização de um movimento de cultura na região”, ressalta a moradora que participava das rodas de capoeira que eram realizadas na Lona Cultural.

Cansados e indignados com o descaso do poder público com a Lona Cultural, jovens da Organização Comunitária Nós por Nós resolveram realizar o “Sarau por Nós”, um evento cultural com o intuito de dar visibilidade para atual situação de abandono da cultura de São Gonçalo, como também, divulgar as atrações culturais existentes no Jardim Catarina e adjacências.

O SARAU POR NÓS

O Nós por Nós: por mais direitos e menos desigualdade social é uma organização comunitária independente, administrada por moradores do Jardim Catarina e que funciona por meio de doações e sem vínculos partidários. Composta em sua grande maioria por jovens do local que procuram reafirmar a importância da cultura negra e dos talentos culturais da região. Atualmente a organização possui um pré-vestibular social e uma biblioteca comunitária que atende a juventude do Jardim Catarina e proximidades.

Organização é formada em sua grande maioria por jovens do Jardim Catarina. Foto: Rodolfo Targino / Agência Biblioo

No último domingo (20) a organização realizou na Praça do Jardim Catarina o “Sarau por Nós”, um evento cultural como forma de protestar contra o fechamento da Lona Cultural e que contou com a participação de diversas atividades culturais, dentre elas, dança de rua, música, rap, grafites, entre outros.

O jovem Rhuan Fernandes é morador do Jardim Catarina, um dos integrantes do Nós por Nós e sobrinho de Lídia Maria da Silva, uma das pioneiras do movimento negro na localidade e que dá nome a Lona Cultural do Jardim Catarina. Para o estudante de Ciências Sociais da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), o Sarau é uma forma de divulgar os talentos locais e contrariar a visão retratada na grande mídia e capas de jornais de que o Jardim Catarina é um local violento. “O Sarau Por Nós é uma forma de manifestação em prol da Lona Cultural e também para reafirmar que no Jardim Catarina tem cultura, diferente daquilo que os jornais noticiam no cotidiano dizendo que aqui só existe violência e tiros. Estamos mostrando que aqui tem cultura, beleza e arte”, ressaltou Rhuan Fernandes.

O Sarau por Nós contou com diversas atrações culturais como o Grupo de dança urbana Unit, fundado em 2014 com objetivo de unir pessoas através da dança. Oficinas de grafite e muita música também fizeram parte da programação do evento. A população local participou do evento, muitos jovens, crianças e adultos interagiram com as danças, músicas e atividades culturais.

Grupo de Dança Unit foi uma das atrações que movimentou o Sarau Por Nós. Foto: Rodolfo Targino / Agência Biblioo

SÃO GONÇALO TAMBÉM TEM SEUS TALENTOS

Mesmo com os poucos incentivos na área cultural, o bairro do Jardim Catarina revela seus talentos que começam a despontar no cenário musical local. Uma das atrações mais esperadas do “Sarau por Nós” foi a participação de Emerson Rodrigues, o Yawo, cantor, compositor e morador da localidade. Emerson é um dos grandes talentos musicais do Catarina e anteriormente teve a oportunidade de participar de espetáculos na Lona Cultural com o show “JamaiCatarina”.  No Sarau, Emerson tocou seu violão e apresentou canções de sua autoria e de cantores conhecidos como Seu Jorge, Leci Brandão, Natiruts, entre outros.

Em depoimento a Biblioo, o jovem cantor destacou a importância do Sarau para a comunidade e lamentou que um espaço como a Lona Cultural Lídia Maria da Silva não estar fornecendo cursos e oportunidades para a juventude local: “Estamos realizando o Sarau por Nós em prol de melhorias para a comunidade. Por conta dos autos índices de criminalidade nossas crianças, jovens estão sempre à beira de situações críticas e um espaço como o da Lona Cultural deveria fornecer atividades e ocupações para nossa juventude”, ressaltou o jovem cantor.

Emerson Rodrigues (a direita) é um dos grandes talentos da música local. Faoto: Rodolfo Targino / Agência Biblioo

A mobilização dos moradores e da organização comunitária Nós por Nós continua com a coleta de assinaturas para compor um abaixo assinado que será destinado a José Luiz Nanci, atual prefeito de São Gonçalo. Caso tenha interesse em assinar a petição clique aqui. Confira o texto na íntegra da petição online:

 

Ao excelentíssimo Sr. Prefeito de São Gonçalo, Dr. José Luiz Nanci,

Nós, abaixo-assinados (as), brasileiros (as), moradores (as) do bairro Jardim Catarina e adjacências, do município de São Gonçalo, vieram requerer de V.S.ª que revitalize a lona cultural Lídia Maria da Silva, localizada na praça do bairro e que atualmente encontra-se destruída por causa de uma forte chuva que pôs abaixo toda a estrutura que cobre o espaço.

Anteriormente ao ocorrido, realizavam-se eventos culturais, educacionais e intervenções artísticas, tais como: Capoeira, aula de teatro, de circo, de violão, às quartas feiras acontece o programa da justiça itinerante, eventos musicais promovidos por organizações, eventos religiosos e houve também apresentação de orquestra no local.

Em razão disso, solicitamos de V.S.ª o máximo empenho para solucionar esta situação. Na certeza de sermos atendidos, encaminhamos esse documento com o intuito de sermos atendidos.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comments

comments

Postagem anterior

Biblioo debate o papel da mídia na articulação dos temas do livro, leitura e bibliotecas

Próximo post

Memória da Eletricidade realiza a terceira edição do Preserva.ME