4
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A partir da revolução tecnológica, o comportamento e a maneira como as pessoas se comunicam e adquirem conhecimentos passaram por mudanças profundas nos últimos anos. Neste contexto, as bibliotecas podem ser mais do que um espaço de silêncio. Em sintonia com a evolução da sociedade, esses equipamentos culturais começam a se renovar, adquirindo maior protagonismo no incentivo à transformação social de suas comunidades, ao mesmo tempo em que contribuem para a formação de novos leitores.

Com o objetivo de propiciar a formação em mediação de leitura, a organização social Recode, voltada ao empoderamento digital, e o Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio (iiLer), criaram em parceria as Oficinas de Mediação em Leitura. Pela primeira vez em formato 100% on-line, o projeto visa formar bibliotecários, professores, educadores sociais, estudantes e profissionais que atuam em bibliotecas públicas, escolares, comunitárias e prisionais.

As inscrições são gratuitas e os interessados já podem se inscrever para o primeiro módulo, que começa no dia 05/02. Ao todo, o projeto disponibilizará gratuitamente dez oficinas que serão oferecidas a cada mês pela plataforma digital da Recode. A expectativa é capacitar 100 profissionais e estudantes por oficina.

Cada participante receberá, ao final do módulo cursado, um certificado com o selo iiLer/Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio  e, para quem concluir as dez oficinas, será emitida uma certificação especial de formação em Mediação de Leitura. Para se inscrever, basta entrar na plataforma da Recode, clicando aqui.

Para Gilda Carvalho, vice-diretora do Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio, ao atuar como mediador de leitura, o bibliotecário estará apto a tornar a biblioteca um espaço fomentador da cultura e da leitura, ou seja, um espaço vivo e dinâmico que atenda às demandas de seus usuários e acolha atividades que vão além da pesquisa e do empréstimos de livros.

“Acreditamos que bibliotecas que atuam dessa forma podem integrar e transformar as comunidades onde estão inseridas, contribuindo não só para a formação de leitores, mas, sobretudo, para a formação de cidadãos”, explica.

A carga horária de cada oficina será de 10 horas, totalizando 100 horas para a formação completa. Para que os participantes possam esclarecer dúvidas e buscar informações complementares, haverá um webinar (conferência virtual) entre os participantes do curso e o professor responsável por cada oficina, após sua realização.

Segundo Renata Costa, gerente do programa de Bibliotecas da Recode, o percurso das oficinas foi pensado como uma formação continuada para as 200 bibliotecas apoiadas pela Recode e contribui com um dos eixos principais do Plano Nacional do Livro e Leitura, voltado à formação de profissionais que atuam nesses espaços.

“Não basta ter uma biblioteca pública; é preciso ter um profissional que faça a ponte entre o leitor e os livros e, portanto, é preciso ir além da formação técnica”, aponta.

Cada oficina pretende abordar um dos aspectos que compõem a formação, em temas como: Novas Tecnologias; Contação de Histórias; A Biblioteca como Espaço de Leitura; Mediação de leitura; Literatura infantojuvenil; Práticas leitoras; Leitura e Relações de Trabalho; O Sentido da Leitura e a Leitura dos Sentidos; Dinamização de Acervos e Biblioterapia.

“Ao cocriar esse projeto com o iiLer, da PUC-Rio, buscamos contribuir com o empoderamento digital desses agentes de transformação que se mostram cada vez mais dispostos a aproveitar o potencial da tecnologia para adquirir conhecimento e transformar suas comunidades. O formato inédito dos cursos on-line poderá estimular novos leitores e ainda incentivar a leitura digital em todo o país”, complementa Rodrigo Baggio, fundador da Recode.

Serviço

Curso: Oficinas de Mediação em Leitura (formato 100% on-line).

Realizadores: Cátedra de Leitura – Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio (iiLER) (parceria com a Unesco).

Início das aulas: 05/02.

Público: professores, educadores sociais, estudantes e profissionais que atuam em bibliotecas públicas, escolares, comunitárias e prisionais.

Inscrições: gratuitas clicando aqui. (Vagas limitadas).

Corpo docente iiLer

Francisco Camêlo é pesquisador do iiLer e da Cátedra UNESCO de Leitura PUC-Rio. Integra o Grupo de Estudos em Literatura Infantil e Juvenil (GELIJ/CNPq). Atualmente, cursa o Doutorado em Literatura, Cultura e Contemporaneidade pela PUC-Rio, com pesquisa sobre Walter Benjamin.

Maria Clara Cavalcanti, psicóloga, especialista em Literatura Infantil e Juvenil pela UFF (Universidade Federal Fluminense) e em Leitura: Teoria e Práticas pela PUC-Rio (Pontifícia Universidade Católica). Integra o Grupo de Estudos em Literatura Infantil e Juvenil (GELIJ/CNPq), é contadora de histórias do Confabulando contadores de histórias e autora de livros infantis, juvenis e adultos.

Maria Helena Ribeiro dos Santos, pedagoga, especialista em Educação da Prefeitura, com Pós-Graduação Lato Sensu em Metodologia Didática e Psicologia da Educação, com especialização em Didática da Comunicação, participa da Equipe de Pesquisadores do Instituto Interdisciplinar de Leitura PUC-Rio. Participou como especialista da FNLIJ, do PROLER – Biblioteca Nacional, e na Coordenação do Leia Brasil – Programa de Leitura da Petrobras. Deu Apoio Técnico ao Programa de Leitura do SESC Rio e à Coordenação do Projeto Agentes de Leitura, uma parceria do MinC com a Cátedra UNESCO da PUC – Rio.

Nanci G. Nóbrega, pós-doutorado em Letras (PUC-Rio); pesquisadora e Consultora em Literatura Infantil e Bibliotecas. Coordenadora e professora de Grupos de Biblioterapia do iiLER – Instituto Interdisciplicar de Leitura/Cátedra UNESCO de Leitura. Apaixonada por narrativas e bruxas.

Viviane Moreira, graduada em Teologia pela PUC-Rio;  mestre em Teologia pela mesma Universidade. Técnica em webdesigner, trabalha em projetos de inclusão digital e implementação de métodos de utilização de TICs (Tecnologia de Informação e Comunicação) em comunidades carentes. Atualmente é Analista do Setor de Comunicação e Criação Audiovisual do iiLer e da Cátedra UNESCO de Leitura, Editora Assistente da Revista LER e Assessora Editorial da Revista Cátedra Digital.

Gilda Carvalho, formada em Administração de Empresas e em Comunicação Social, Mestre em Literatura Brasileira, coordenadora do Programa Destrava Línguas de formação de leitores para funcionários da PUC-Rio e Vice-diretora do Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUCRio.

Thatty de Aguiar Castello Branco, doutora em Literatura Brasileira pela PUC-Rio, Mestre em Letras pela mesma instituição, Pós-Graduada em Docência do Ensino Superior, Graduada em Letras (UERJ) e Direito (UFRJ). Pesquisadora de Crítica Literária, Literatura Infantil e Juvenil e Formação do Leitor, Colaboradora da Cátedra UNESCO de Leitura/PUC-Rio, Docente do CCE/PUC (curso “Clássicos de Literatura Infantil e Juvenil”) desde 2015, atua no Projeto Destrava Línguas (programa de formação do leitor e promoção da leitura para funcionários da PUC-Rio, coordenado pela Cátedra UNESCO de Leitura e pela Superintendência de Recursos Humanos da PUC-Rio) e como Mediadora Pedagógica e Orientadora em cursos de pósgraduação da Universidade Federal Fluminense (UFF – Lante) e da Coordenação Central de Educação a Distância da PUC-Rio (CCEAD/PUC-Rio).

Alessandro Rocha, diretor do Instituto Interdisciplinar de Leitura da PUC-Rio. Graduado em filosofia, mestre em humanidades e cultura, mestre em teologia, doutor em teologia, pós doutor em Letras.

Sobre a Recode

A Recode é uma organização social que promove o empoderamento digital de jovens a partir da mobilização de uma rede de instituições. Por meio da criação e disseminação de metodologias de formação empreendedora e do uso de ferramentas digitais, busca ampliar o impacto de facilitadores em comunidades, escolas e bibliotecas e estimular o uso ético, consciente e cidadão da tecnologia. Assim, empodera indivíduos para reprogramar realidades. Com 23 anos de atuação, a Recode está presente em 7 países com 600 centros de empoderamento digital e já alcançou mais de 1,7 milhão de pessoas.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Kindred: a leitura fácil de um livro difícil

Próximo post

Sutilezas e matizes da identidade masculina em “Eles”, de Vagner Amaro