32
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Apesar de ser vista como a arte de organizar livros, a biblioteconomia é uma área muito ampla e vai muito além disso. Pode ser adaptada para novas mídias, necessidades e objetivos, visando a organização, a indexação e a recuperação de diversos tipos material.

Pensando nisso, surgiu a ideia de criar uma empresa de organização do closet feminino, a Closet Organizer, e dentro desta empresa uma base de dados para controle de todos os itens que compõem a coleção de roupas, calçados, acessórios e maquiagem da contratante do serviço.

Para realização deste projeto utilizamos recursos biblioteconômicos adaptando-os para fins de organização prática e duradoura, nesse processo há um acompanhamento feito pelas consultoras da Closet Organizer, um levantamento e diagnóstico em consenso com a cliente.

Após este processo serão executados procedimentos relacionados à delimitação dos itens do closet e a aplicação dos métodos desenvolvidos pela empresa. Todo o processo, que é desenvolvido há anos dentro do contexto de uma biblioteca, serão adaptados e aplicados dentro do cenário proposto, desde a seleção, indexação na base até sugestões de descarte de itens não mais utilizados.

Nós, criadoras do projeto Closet Organizer, pensamos em cada detalhe elaborado neste empreendimento. Discutimos, projetamos e criamos tudo, em algumas situações voltamos atrás para reorganizar, visando um projeto que cobrisse todos os aspectos para melhor atendimento das necessidades de nosso usuário.

O papel das consultoras do Closet Organizer é avaliar e diagnosticar as falhas na organização; para isso oferecem dicas, sugestões, indicações e orientações; desenvolvem projetos e cronogramas específicos; treinamentos para mudanças de hábitos, pessoais ou comportamentais, ou mesmo uma reestruturação total, para melhor ordenação do seu closet.

Para tanto, a organização será feita a partir de um processo que será o mesmo em todos os casos. O que muda são os tipos de serviços e metodologias de organização e os treinamentos direcionados às necessidades de cada uma.

Seleção e descarte: a seleção do material é feita pela cliente conforme seu gosto, espaço e necessidade. Para manter a organização das coleções subdividimos o processo em 4 categorias: Organização de Sapatos, Organização de Acessórios (Jóia/Biju), Organização de Roupas e Organização de Make. Após divididas por categorias, as classes serão subdivididos por tipologia e cor.  A Closet Organizer aconselha o descarte, pois, como as coleções estão em crescimento contínuo e o espaço geralmente não cresce constantemente, a prática do desapego é importante para a manutenção da ordem. Nesse sentido, recomenda-se doações e divulgação em sites de troca e venda.

Organização física em estantes: após o diagnóstico do perfil e espaço da cliente, será planejado e/ou adaptado o espaço de guarda das coleções. Para tanto, serão levadas em consideração o espaço que a cliente possui para guarda de cada categoria e o seu gosto para móveis e decoração.

No caso dos calçados, subdividimos em 3 categorias. São elas: casual, social e esportivo. Após a divisão em categorias, dividimos mais uma vez por tipologias: sapatilha, scarpin, tênis etc.. Na sequência serão distribuídos  no local escolhido por cores, seguindo a paleta (uma adaptação do método variadex). Segue modelo do critério adotado:

Para a distribuição e organização do vestuário, as categorias subdivididas serão: Social Festa, Cotidiano, Casual, Esportiva e Roupas de Banho. As sequências de tipologias e cores também serão seguidas aqui.

Os acessórios (Joias e Bijuterias) serão agrupados em uma ou mais gavetas com divisórias (de acordo com o tamanho da coleção) e serão subdivididos em: Anéis, Pulseiras e Colares. Não há necessidade de subdividir esse grupo, pois o primeiro agrupamento já supre as necessidades de organização.

Por fim, para organização da maquiagem, serão utilizadas gavetas ou organizadores próprios para make, e as subdivisões de tipologias serão: pele, olho,  e boca. A seguir aplicamos novamente a paleta de cores para concluir a organização.

Para definição dos campos necessários na base Closet Organizer, fizemos um estudo de usuário, consultando mulheres de todos os tipos, com grandes e pequenas coleções, para fixar parâmetros que atendesse a todas. Consultamos algumas bibliografias da área, entretanto, elas são mais voltadas para o ramo bibliográfico.

A AACR2 (Código de Catalogação Anglo-Americano) foi consultada, porém o que prevaleceu para a tomada de decisão dos campos conceituais para formação da base foram as necessidades e expectativas do nosso público-alvo. Segue as listas de campos para cada entidade.

Os campos para o grupo Calçados serão os seguintes: classe, tipologia, confecção, aquisição, descrição, coleção e notas.

Os campos para o grupo Joias seriam: tipologia, material, confecção, aquisição, descrição, coleção e notas.

Os campos para o grupo vestuário seriam: categoria, tipologia, marca, aquisição, descrição, coleção e notas.

Os campos para o grupo Maquiagem seriam: tipologia, marca, dados de Aquisição, descrição física, série, cor e notas.

Catalogar é registrar tudo que há, para que o cliente possa saber o que existe e qual sua localização (PRADO, 1992, p. 38). Assim, o Software Closet Organizer foi projetado pensando em otimizar a organização de um closet, excepcionalmente, o feminino. Ele está estruturado de tal maneira que possibilita a consulta dos itens a ele anexados (vestuário, calçados, joias etc.) e outros tipos de processamento. Segue layout do software e suas respectivas funções:

Página inicial / Login
Inserção do Material
Busca, passo 1
Busca, passo 2
Busca, passo 3
Resultado da Busca
Diagrama

O projeto desenvolvido trouxe-nos uma maior compreensão da relevância de um sistema de organização dentro de um empreendimento, nos mostrou como podemos aprimorar e adaptar este sistema, tornando-o de fácil acesso, fazendo adaptações de acordo com a necessidade, não apenas dentro de uma biblioteca, como também em diversos meios de prestação de serviços.

Por abordar um tema não muito comum, voltado para um público específico, a indexação precisa ser efetivo, resultando em uma busca ágil e eficiente. Para isto ocorrer, montamos um esquema com um software apropriado e desenvolvido especificamente para o projeto, com campos de pesquisa adequados para execução das atividades. No diagrama e tabelas apresentados, pode-se verificar quais foram os campos criados para o total aproveitamento do sistema.

A disponibilização de um serviço como este mostra a variedade dos sistemas de organização e sua ampla funcionalidade, independente do material ou serviço que se queira organizar. O sistema é adaptável e eficaz. A estrutura da sociedade nos tempos atuais mostra a necessidade da modernização e amplitude de visão do campo da biblioteconomia. As facilidades e rapidez que a internet trouxe à vida de todos também está inserida nas questões envolvendo as ações biblioteconômicas.

*Colaborou: Railan Oliveira de Souza Lima

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

"Os bibliotecários devem conhecer o funcionamento do Conselho"

Próximo post

A justiça é cega, mas se inclina para algum lado