Autor do Arquivo

Cristian Brayner

mm

É pós-doutor em História, doutor em Literatura pela Universidade de Brasília, mestre em Ciência da Informação e graduado em Biblioteconomia, Direito, Tradução, Filosofia e Letras (Língua e Literatura Francesas). Ex-subsecretário do Patrimônio Cultural do Distrito Federal e ex-diretor do Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Ministério da Cultura. Foi agraciado com o Prêmio Casa de las Américas. Colabora de forma permanente com a Biblioo.

O gênio do bibliófilo é um gênio apaixonado que abarca o homem inteiro

Uma biblioteca, abarrotada de livros “velhos e novos”, é um mundo, o mundo dos defuntos e dos ausentes, não mortos ou distantes, mas vivos, presentes, familiares

Para Elredo, o amor pressupõe um rosto, não se confundindo, portanto, com um sentimento genérico dirigido ao próximo. Essa relação só se daria entre indivíduos que compartilhassem o mesmo estilo de vida

O património bibliográfico e a legislação brasileira

A possibilidade ou não de reproduzir um capítulo de livro por meio de máquina reprográfica é uma das dúvidas mais recorrentes entre os profissionais das bibliotecas

Essas entidades não são um sindicato ou uma associação, mas uma autarquia, e seus membros, enquanto agentes públicos, são desprovidos de livre atuação, não podendo falar e fazer o que bem entendem

Há duas razões para isso: a primeira delas, a defesa do direito à vida, que abrange tanto o direito de não ser morto, como também o direito de ter uma vida digna

A leitura da Constituição Federal de 1988 o ajudaria, presidente, a criar um clima de estabilidade e respeito entre seus auxiliares, o que irradiaria para toda a sociedade brasileira

Até quando a melanina vai modular, cinicamente, a balança de Têmis e o cacetete da polícia?

Entre 2000 e 2015, mais de dez mil vagas foram suprimidas no país, segundo dados do próprio Centro Nacional de Estatísticas da Educação