3
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O secretário de Economia da Cultura do MinC, Mansur Bassit, disse em entrevista ao programa Epígrafes do jornalista Ricardo Mituti que um grande desafio da atual gestão do Ministério da Cultura é reabrir a Biblioteca Demonstrativa de Brasília Maria Conceição Moreira Salles (BDB), fechada desde 2014.

“Um grande desafio dessa gestão é entregar a Biblioteca Demonstra de Brasília, que está fechada, que foi interditada, virou uma novela, mas é uma obra importante, principalmente para Brasília, para a memória afetiva de todo mundo que usa essa biblioteca. Todo mundo está muito ansioso que a gente entregue essa biblioteca. É uma entrega muito importante porque ela é a Biblioteca Demonstra de Brasília, ela tem de ser referência para as demais bibliotecas”, disse Bassit.

Conforme reportagem recente do jornal Correio Brasiliense, o processo licitatório para contratação da empresa que realizará a obra, ao custo de R$ 2,6 milhões, terminaria no fim do ultimo mês. A publicação lembra que a nova previsão de reabertura vem após uma série de adiamentos, sendo que a última vez que o órgão se manifestou a respeito, a expectativa era de que a instituição voltasse a funcionar no primeiro semestre de 2017, o que não se cumpriu.

Biblioteca Demonstrativa de Brasília. Foto: Soraia Magalhães

Ainda de acordo com Bassit, a pauta do livro está muito forte no Ministério. “Nós temos no DLLLB [Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas] o Guilherme Relvas, que tem um trabalho imenso no Pará com as bibliotecas. A gente está cooperando com muitas ações que lidam com livro e leitura, inclusive na Câmara [Brasileira do Livro], o Conecta Biblioteca, a Recode [OS que se dedica a informatizar bibliotecas]. A gente está muito focado em mostrar que o livro e a leitura são pautas importantes para o país”, garantiu.

Queda nos investimentos na Cultura

Mas apesar do otimismo, Bassit titubeou ao ser perguntado porque os investimentos diretos, previstos pelo governo federal ao Ministério da Cultura, que historicamente sempre giraram em torno de 0,08% do orçamento, neste ano de 2018 devem ser inferiores à 0,02%.

“A gente precisa contextualizar o momento em que o Brasil vive. Nós estamos vindo de uma crise, tentando retomar a economia. […] O corte que a gente teve foi um corte no governo, não só pro Ministério da Cultura, e como ele [o governo] já tinha um orçamento que não é tão alto, ele compactou muita”, realitivizou.

A proposta aprovada pelo Congresso Nacional no final de 2017 prevê cerca de R$ 2,7 bilhões para a Cultura no ano de 2018 como montante global, dos quais R$ 600 milhões são para investimentos, previstos no orçamento direto. E a autorização dada pelo presidente da República, Michel Temer, ao ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, para iniciar tratativas com o Ministério do Planejamento para elevar em R$ 250 milhões o orçamento da pasta ainda não se concretizou.

Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas

Sobre o Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas, Bassit disse que o Ministério está tentando reforça-lo, mas não entou em detalhes. O SNBP, que está subordinado ao Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas do Ministério da Cultura (MinC), é o órgão da administração federal encarregado pela política nacional das bibliotecas públicas.

Conferira abaixo a entrevista completa:

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Recode reúne profissionais de bibliotecas públicas durante II Encontro Nacional Conecta Biblioteca

Próximo post

Salão Carioca do Livro recebe Plenária do Plano Estadual de Livro, Leitura e Bibliotecas