Tag de Posts

Bibliotecas Públicas

Chegando a quarta edição em 2015, o Fórum Brasileiro de Bibliotecas Públicas será realizado entre os dias 22 a 24 de julho na cidade de São Paulo, em paralelo com a vigésima sexta edição do CBBD de 2015.

A Biblioteca Pública Estadual Graciliano Ramos, equipamento da Secretaria de Estado da Cultura (Secult), dá o primeiro passo para a formação da Rede de Leitura Inclusiva em Alagoas. Em parceria com a Fundação Dorina Nowill para Cegos, a Biblioteca Pública promove o primeiro encontro no dia 23 de julho, às 9h30.

Vontade política, conhecimento e uma boa dose de vergonha na cara não faz mal a ninguém

O dito popular diz que “promessa não cumprida é jura esquecida!”. Há quase oito anos atrás, o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva, prometeu zerar até o ano de 2008 o número de municípios brasileiros sem biblioteca. “Em 2008, queremos que haja uma biblioteca em cada cidade brasileira”, destacou Lula.

A Biblioteca Pública do Espírito Santo abriu uma exposição de obras raras. Em cartaz até o dia 31 de julho, “Obras raras e especiais” mostra ao público parte do acervo de obras da biblioteca. A exposição marca os 160 anos de criação do local.

O Fórum Brasileiro de Bibliotecas Públicas é uma iniciativa promovida pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP) com o intuito de fomentar pesquisas, divulgar práticas e experiências em bibliotecas públicas. A partir do ano de 2011 começou a se configurar como um evento paralelo ao Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação (CBBD).

O espírito de luta parece ter tomado de vez bibliotecários, estudantes e demais entusiastas das bibliotecas, do livro e da leitura. Primeiro foi no Amazonas onde, mobilizados em torno do Movimento Abre Biblioteca, …

Durante o lançamento do movimento “Se a Cidade Fosse Nossa” no dia 15 de junho de 2015, a Revista Biblioo conversou com o Professor de História do Colégio Pedro II e ex-candidato a governador do Rio de Janeiro, Tarcísio Motta. Tarcísio comentou sobre questões como a situação das bibliotecas públicas do município do Rio e Lei das Bibliotecas Escolares.

“Tenho acompanhado as manifestações do Rio de Janeiro, Paraíba e de Brasília. Penso que são avanços, e quero crer que vamos avançar mais”.

Na Biblioteca 10 de Helsinki é possível ler deitado na rede, fazer negócios, costurar à máquina, dançar, digitalizar formatos obsoletos, como fitas cassete e VHS, tocar guitarra ou tirar uma soneca.