0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por O Globo

Menos de uma semana após agentes da Polícia Federal executarem a reintegração de posse do Palácio Gustavo Capanema e retirarem o movimento Ocupa MinC do prédio, os integrantes do grupo se mantiveram organizados e, na última quarta-feira, iniciaram uma nova ocupação, que se estabeleceu nesta segunda-feira em outro emblemático espaço da cidade, o Canecão, a desativada casa de shows localizada em Botafogo, na Zona Sul do Rio.

De acordo com uma postagem do Ocupa MinC, em sua página no Facebook, a ocupação no Canecão é um “novo polo de resistência contra o golpe”, e irá permanecer no imóvel, um patrimônio vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), por tempo indeterminado.

Um dos principais movimentos de resistência contra o governo interino de Michel Temer, o Ocupa MinC pede a saída de Temer da Presidência e a recondução de Dilma Rousseff ao cargo.

“A ocupação se mantém até o Temer cair. Depois disso, ainda não sabemos”, disseram os representantes do movimento, em mensagem encaminhada ao GLOBO. “Mas o legado da Ocupa MinC já é inegável, tanto historicamente como um movimento de resistência ao golpe, quanto culturalmente pela revitalização dos espaços públicos ocupados, pelo modelo democrático de gestão cultural popular e pelo estímulo à diversidade cultural”.

Na primeira manhã de ocupação, os integrantes do Ocupa MinC realizaram um mutirão de limpeza no espaço, que está fechado e inativo desde outubro de 2010. No começo da noite desta segunda-feira, os participantes se encontraram com representantes da reitoria da UFRJ, que através da sua assessoria de imprensa informou ao GLOBO que “no momento busca avaliar como o movimento pretende conduzir a ocupação”. Foi ressaltado, ainda, que a “UFRJ não tem vínculo direto” com o movimento. O Ocupa MinC, por sua vez, reafirmou “que o movimento é autônomo e não possui vínculos institucionais”.

O objetivo da ocupação é reativar o espaço com uma série de atividades culturais, artísticas e pedagógicas, aos moldes do que ocorreu ao longo dos 73 dias em que o Ocupa MinC se manteve no Palácio Capanema. Além de plenárias e reuniões, o Ocupa prepara para o próximo dia 4, quinta-feira, um ato de abertura, “Ocupa MinC abre Canecão: re-existência olímpica”, que teria direção de Bia Lessa e a participação de artistas, intelectuais e movimentos culturais.

Inaugurado pelo empresário Mario Priolli em 1967, o Canecão foi uma das mais importantes casas de espetáculos do Rio, e foi reintegrado à UFRJ após uma longa batalha judicial. Após assumir o imóvel, a universidade tinha planos de transformá-lo num espaço de promoção de cultura, educação, ensino e ciência, mas por falta de recursos o projeto não foi à frente e o Canecão seguiu fechado.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Comemorando 20 anos, Centro Hélio Oiticica supera decadência

Próximo post

Inclusão digital de pessoas com deficiência

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *