0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O Museu Casa do Pontal, maior acervo de arte popular do Brasil, localizado na Zona Oeste do Rio, está realizando uma campanha de financiamento coletivo, cujo objetivo é arrecadar fundos para a reabertura da instituição, fechada desde que as fortes chuvas que caíram sobre a cidade no início de abril alagaram o espaço, danificando as instalações.

“Precisamos reparar os danos causados pela chuva para manter o acervo em segurança e reabrir o Museu do Pontal para o público. Esta é a maneira mais eficiente de manter o acervo a salvo. Com seu apoio, será possível reformar as principais estruturas danificadas, assim como desinfetar e pintar a área afetada”, diz a apresentação da campanha.

De acordo com a instituição, a altura mínima das vitrines será de 80 cm acima do solo para diminuir o impacto em potenciais futuras inundações. Em 2016 o Museu já havia sofrido um alagamento após fortes chuvas castigarem a cidade, o que se atribuía à construção de um conjunto de prédios erguidos para abrigar parte da imprensa que viria ao Brasil fazer a cobertura dos Jogos Olímpicos.

Imagens mostram o prédio do Museu do Pontal rodiado pela água da chuva. Foto: divulgação

A direção acredita que com o valor de R$ 80 mil, estabelecido como meta da campanha, será possível reabrir o Museu, permitindo que o público tenha acesso a cerca de 1 mil obras, além de possibilitar a recuperação de parte da exposição permanente reformando quatro áreas temáticas: “Profissões”, “Vida Rural”, “Ciclo da Vida” e “Festas”.

“Acreditamos que a melhor forma de reabrir o Museu é pela força do coletivo. Precisamos de milhares de apoiadores como você! Colabore, compartilhe o projeto com seus amigos e junte-se a nós neste esforço”, conclama a campanha que até o fechamento desta reportagem havia arrecadado pouco mais de R$ 32 mil.

O Museu Casa do Pontal é considerado o maior e mais significativo museu de arte popular brasileira. A coleção composta por mais de 8 mil peças foi reunida pelo francês Jacques Van de Beuque (1922-2000), responsável também pela construção do Museu, iniciada em 1976. O acervo e a edificação foram tombados em 1991 e constituem um patrimônio de interesse público.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

O míssil infectocontagioso das relações de areia em “Parasito”

Próximo post

“O regime militar garantiu o esvaziamento científico e cultural das universidades”