19
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Há algum tempo escrevi um texto na coluna em que assino na Biblioo intitulado “Intensificando a crítica”, que versava sobre as perspectivas e limitações da produção de livros no campo da ciência da informação, sendo necessário alavancar a produção livresca de modo mais consistente e continuado.

Inegavelmente, áreas que produzem livros autônomos, principalmente de autoria única, que se constituem como obras clássicas como a filosofia, física, sociologia, história, psicologia, linguística, campo da saúde etc., conseguem conceber estruturas teórico-pragmáticas mais densas na trajetória de construção do conhecimento formal, oferecendo as suas comunidades subsídios para produção de novos meios reprodutivos, críticos e criativos de conhecimento.

Os campos da biblioteconomia, arquivologia e ciência da informação, em grande medida histórica, pecaram por não oferecer subsídios mais densos para reflexão, criação e resolução de problemas informacionais. No entanto, independente das limitações, é pertinente valorizar estudiosos da área que desenvolveram produções livrescas, deixando um legado para que as gerações futuras se apropriem e produzam novos conhecimentos.

Desse modo, listamos alguns livros produzidos no campo da biblioteconomia em nível nacional que consideramos merecer destaque, considerando apenas obras de única autoria. Abaixo a lista em ordem alfabética dos autores:

1) ALMEIDA JÚNIOR, Oswaldo Francisco de. Sociedade e Biblioteconomia. São Paulo: Polis, 1997.

O livro se constitui a partir de uma série de palestras e textos do autor que foram compiladas e transformadas em uma obra clássica da biblioteconomia, versando sobre aspectos fundantes da área como informação, bibliotecas (públicas e comunitárias), função social do bibliotecário e movimento político-associativo da biblioteconomia. A obra retrata aspectos cotidianos da informação, da biblioteca e dos bibliotecários que apresentam grande referência a realidade atual da área. O livro foi digitalizado pela editora Polis (Coleção Palavra-Chave) e pode ser acessado clicando aqui.

2) ARAÚJO, Carlos Alberto Ávila. Arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação: o diálogo possível. Brasília, DF: Briquet de Lemos / Livros / São Paulo: Associação Brasileira de Profissionais da Informação (ABRAINFO), 2014.

Trata-se de uma obra condensada, em especial, na pesquisa de pós-doutorado do autor, realizada na Universidade do Porto que tratou das diversas possibilidades de aproximações dialógicas entre os campos da arquivologia, biblioteconomia, museologia e ciência da informação. O livro tem como primeiro capítulo a constituição de traços históricos em comum entre as três áreas, versando sobre seus modelos e perspectivas de pensamento, mostrando perspectivas contemporâneas destes campos do conhecimento. O segundo capítulo é alusivo à ciência da informação contemplando, em primeiro lugar, o desenvolvimento do campo, a explicitação sobre a bibliografia/documentação e o espaço institucional da biblioteconomia, a ciência da informação em outros contextos, a caracterização da ciência da informação e teorias/sub áreas da ciência da informação. O terceiro e último capítulo é referente a uma proposta de aproximação entre a arquivologia, biblioteconomia e museologia.

Capa do livro “História da biblioteconomia brasileira”. Foto: divulgação

3) CASTRO, Augusto Cesar. História da biblioteconomia brasileira: perspectiva histórica. Brasília: Thesaurus, 2000.

Resultado da tese do autor, defendida na Universidade de Brasília (UnB), o livro, publicado pela Editora Thesaurus, retrata a trajetória da biblioteconomia diante de vários aspectos, contemplando o desenvolvimento das bibliotecas, em especial, a Biblioteca Nacional, ensino de biblioteconomia (incluindo a construção curricular), órgãos de classe, além dos fundamentos históricos, políticos e institucionais da profissão e atuação profissional do bibliotecário. Certamente é uma das obras mais densas e completas sobre o desenvolvimento histórico da biblioteconomia e não somente pela narrativa em si, mas pelo teor crítico, rigoroso e consistente com que trata a história da área. Para mais informações sobre o livro, clique aqui.

4) FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Estudo de uso e usuários da informação. Brasília: IBICT, 1994.

O livro se constitui em vários textos e experiências da autora pelo mundo, majoritariamente na década de 1980, que tratam de assuntos/capítulos como: estudo de usuários, aspectos especiais de estudo de usuários, estudo de usuários como suporte para planejamento e avaliação de sistemas de informação, estudo da comunidade, estudo de uso do catálogo, formulário para coleta de dados (Survey) e estudo de uso de bibliotecas universitárias, formulários e o repensar da biblioteconomia brasileira. É o livro mais clássico da biblioteconomia sobre estudo de usuários que fez um amplo processo descritivo, sendo leitura base para disciplinas de estudo de usuários, desenvolvimento de pesquisas e práticas de atuação profissional. O livro encontra-se disponível em formato digital na internet.

Capa do livro “Introdução a biblioteconomia”. Foto: divulgação

5) FONSECA, Edson Nery da. Introdução à Biblioteconomia. Brasília: Briquet de Lemos, 1992.

Um dos autores, estudiosos e profissionais mais clássicos e consagrados da biblioteconomia brasileira oferece um conjunto de percepções sobre a área dividido nos seguintes aspectos: livro (capítulo 1), biblioteca (capítulo 2), leitor e leitura (terceiro capítulo), bibliotecário (capítulo 4). O próprio autor defende que o livro não se trata de um manual, mas de uma visão panorâmica da biblioteconomia que, de fato, contempla aspectos que vão desde campos de atuação, até a constituição da profissão de bibliotecário em si. O livro apresenta uma segunda edição publicada em 2007. Para mais informações sobre a primeira edição, clique aqui e sobre a segunda edição clique aqui.

6) FONSECA, Edson Nery da. Problemas brasileiros de documentação. Brasília: IBICT, 1988.

Uma obra que reúne artigos, conferências e outros textos diversos compilados pelo autor que tratam de assuntos fundamentais, a saber: biblioteconomia (incluindo reflexões sobre bibliotecas), interdisciplinaridade, origem e desenvolvimento da documentação, ensino de biblioteconomia, bibliotecas universitárias, pesquisa, catalogação/classificação e questões locais de Recife/Olinda sobre bibliotecas, arquivos e práticas de documentação. A obra supramencionada pode ser acessada aqui.

Capa do livro “Ensino de biblioteconomia no contexto brasileiro”. Foto: divulgação

7) SOUZA, Francisco das Chagas de Souza. Ensino de biblioteconomia no contexto brasileiro. Florianópolis: EdUFSC, 1991.

Obra publicada na primeira edição e revisada/atualizada na segunda edição em 2009. O livro é didaticamente produzido concebendo os eventos que contextualizam o ensino da biblioteconomia no Brasil no século XX. Esses eventos foram mais claramente focalizados a partir dos anos da década de 1950, quando já estavam estabelecidas condições materiais que tornavam a realidade do ensino da biblioteconomia conforme relação com o quadro político, econômico, educacional e de eventos marcantes da prática bibliotecária brasileira.

8) VERGUEIRO, Waldomiro de Castro Santos. Desenvolvimento de coleções. São Paulo: Polis; APB, 1989.

Obra clássica sobre desenvolvimento de coleções, publicada pela editoria Polis (Coleção Palavra-Chave), faz uma abordagem geral sobre o assunto, partindo da justificação do desenvolvimento de coleções, seguindo pelo processo e a política de desenvolvimento de coleções, agregando valor sobre estudo de comunidade, além de aspectos pragmáticos como seleção, aquisição, desbastamento e avaliação do acervo. A obra pode ser acessada em formato digital clicando aqui.

Em síntese, estes são apenas alguns livros que pondero como elementares para leitura. Entretanto, há um conjunto de outros livros clássicos e mais contemporâneos que merecem a exposição e leitura pela comunidade biblioteconômica:

1) CARVALHO, Jonathas. Tópicos em biblioteconomia e ciência da informação: epistemologia, política e educação. Rio de Janeiro: Agência Biblioo, 2016. Acessar resenha aqui.

2) CYSNE, Fátima Portela. Biblioteconomia: dimensão social e educativa. Fortaleza: EUFC, 1993.

3) FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Textos avançados em referência e informação. São Paulo: Polis; APB, 1996. 124p. (Coleção Palavra-Chave, 6). Livro acessível aqui.

4) FIGUEIREDO, Nice Menezes de. Serviços de referência & informação. São Paulo: Polis; APB, 1992. 168p. (Coleção Palavra-Chave, 3). Disponível aqui.

5) MORAES, Rubens Borba de. Livros e bibliotecas no Brasil Colonial. Brasília: Briquet de Lemos, 2006 (primeira edição em 1979).

6) ORTEGA Y GASSET, J. Missão do bibliotecário. Brasília: Briquet de Lemos, 2005.

7) RUSSO, Mariza. Fundamentos de biblioteconomia e ciência da Informação. Rio de Janeiro: Editora E-papers, 2010.

8) SILVA, Jonathas Luiz Carvalho Silva. Uma análise sobre a identidade da biblioteconomia brasileira: perspectivas históricas e objeto de estudo. Olinda: Edições Baluarte, 2010.

10) SILVA, Waldeck Carneiro da. A miséria da biblioteca escolar. São Paulo: Cortez, 2003.

11) SOUZA, Francisco das Chagas. Biblioteconomia, educação e sociedade. Florianópolis UFSC, 1993.

12) VIEIRA, Ronaldo. Introdução à teoria geral da biblioteconomia. Rio de Janeiro: Interciência, 2014.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!
Post anterior

O dia nacional do livro infantil marca data de nascimento de Monteiro Lobato

Próximo post

Onde estão aquelas panelas?

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

14 + 15 =