0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Realizado desde o ano passado nas universidades, o “Esquenta Primavera”, um evento realizado pela Liga Brasileira de Editoras (LIBRE), tem como objetivo, como o próprio nome sugere, proporcionar um esquenta para a “Primavera Literária”, também promovida pela LIBRE, que este ano acontecerá entre os dias 3 a 6 de outubro, no Museu da República, Zona Sul do Rio.

O “Esquenta Primavera” acontece de abril a junho de 2019 no Rio de Janeiro, Grande Rio e em São Paulo. Participam do evento Andrea Jakobsson Estúdio, Ibis Libris Editora, Valentina, Imperial Novo Milênio, Mundaréu, Autêntica Editora, Pólen Livros, Bazar do Tempo, Semente Editorial, Pallas, Aletria, Alameda Editorial, Oficina Editora.

Para a realização do “Esquenta”, a LIBRE contou com o patrocínio da Gráfica Forma Certa, com o apoio do Transpo e das universidades envolvidas, com a parceria da Blooks Livraria, LabPub e Mulheres que escrevem, além da mídia da Rádio Cidade e a comunicação da Agência ONZE.

Este ano o evento já passou pelo campus da UERJ, em São Gonçalo, e pela Universidade Federal Fluminense, em Niterói, onde promoveu exposição de livros e palestras. Em maio o “Esquenta” chega ao campus Maracanã da UERJ (Centro de Artes UERJ, nos dias 7 a 9 de maio, 10h às 20h) e depois vai para a Universidade Veiga de Almeida (Barra da Tijuca, nos dias 13 a 17 de maio, 10h às 20h).

Em junho é a vez da Biblioteca Mario de Andrade (dias 7 a 9 de junho, das 10h às 20h), em São Paulo, receber o evento. Segundo Carolina Rodriguez, produtora da atividade, o “Esquenta” é uma iniciativa que visa ampliar as vendas de livros de editoras independentes no ambiente da universidade.

Essa segunda edição está sendo tendo uma receptividade muito boa pela comunidade acadêmica e em breve acontecerão mais eventos de promoção do livro e da leitura. Finalizo com uma mensagem do nosso querido poeta e escrito  Mario Quintana (1906-1994) que gosto muito e que foi postado no Facebook da LIBRE: “Os livros não mudam o mundo, quem muda o mundo são as pessoas. Os livros só mudam as pessoas.”

A LIBRE

A Liga Brasileira de Editoras é uma rede de colaboração independente, que trabalha pelo fortalecimento dos negócios e pela bibliodiversidade do mercado editorial. Criada em 2002, ela “é uma associação de interesse público, sem fins lucrativos ou filiação político-partidária, livre e independente de órgãos públicos e governamentais”.

Tem como missão “preservar a bibliodiversidade no mercado editorial brasileiro através do fortalecimento das edições independentes. Também apóia a criação de políticas públicas em favor dos livros e da leitura. Além de se afirmar como uma rede de colaboração entre editores para refletir e ampliar o público leitor.”

O termo “bibliodiversidade”, segundo a Wikipédia, se refere à diversidade cultural referente ao mundo do livro e das editoras. Segundo o site, tal conceito iniciou, provavelmente, na América Latina na década de 1990 e se difundiu rapidamente no mundo hispânico e francês, sendo muito utilizado pelos editores independentes, autores e ONGs.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Abril, o mês da leitura

Próximo post

Para que serve mesmo a educação?