4
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Um livro sobre a cidade do Recife, encadernado em pergaminho, com dedicatória manuscrita de um dos maiores romancistas da literatura nacional, armazenado em uma biblioteca que representa a intelectualidade brasileira do último século. Elementos que fazem do Guia prático, histórico e sentimental da cidade do Recife, publicado em 1934, uma obra especial por várias razões.

O livro faz parte da primeira edição, bastante rara, com tiragem de apenas 105 exemplares publicados pela The Propagandist. Foi dedicado ao escritor e historiador Octavio Tarquinio de Sousa, considerado precursor no estudo e investigação sobre episódios e personagens da História do Brasil.

Ao manusear as páginas é possível notar uma curiosidade: quem oferece a obra não é o seu autor, Gilberto Freyre, mas outro grande nome da literatura nacional: “Para Octavio Tarquinio com um abraço de José Lins do Rego, 1935”. Seria um capricho do mundo literário? Diversas outras obras de Freyre apresentam sua dedicatória manuscrita, mas esta, ao que parece, foi um presente raro de José Lins do Rego.

“Para Octavio Tarquinio com um abraço de José Lins do Rego, 1935”, diz a dedicatória. Foto: Thiago Cirne

Tarquinio formou, ao lado de sua esposa e também escritora Lucia Miguel Pereira, um acervo bibliográfico que reflete a efervescente produção intelectual do país – evidenciada por centenas de outras dedicatórias de literatos famosos como Carlos Drummond de Andrade, Sérgio Buarque de Holanda e Rachel de Queiroz, apenas para citar alguns nomes. A biblioteca, com mais de 8 mil obras, foi instalada em 2011 na sede da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ) e mantém o arranjo e disposição originais das estantes e móveis, lembrando a época em que os livros ainda eram colecionados e constantemente utilizados pelo casal, falecido em 1959 em um acidente aéreo.

Este era um espaço dinâmico onde Octavio e Lucia esboçavam suas análises críticas, posteriormente publicadas de forma regular em artigos e livros. Diversos itens da coleção revelam as anotações detalhadas e atenciosas de Lucia; estantes em madeira, fotografias de amigos nas paredes e a mesa onde Octavio tantas vezes inspirou e se inspirou, são o pano de fundo que incorpora o patrimônio bibliográfico de duas personalidades peculiares. É justamente neste lugar de múltiplas memórias em que se encontra o exemplar-símbolo da cidade do Recife.

Há ainda outro fator que atribui ao Guia prático de 1934 uma áurea de singeleza poética: trata-se do primeiro guia turístico sobre uma cidade brasileira, escrito e elaborado sob a ótica íntima de seu autor, e que conta ainda com gravuras pintadas à mão pelo artista plástico Luis Jardim, cuidadosamente fixadas às páginas.

Guia prático de 1934: Considerado o primeiro guia sobre uma cidade
brasileira. Foto: José Gustavo Moura

A professora e pesquisadora Fernanda Peixoto comenta, em seu artigo A cidade e seus duplos: os guias de Gilberto Freyre, que o Recife que aparece descrito e comentado em diversos artigos dos anos de 1920 se alça ao primeiro plano no Guia prático. “Gilberto Freyre é quem apresenta a cidade e conduz o turista. Nos roteiros propostos, desenha-se o perfil da cidade”. Ela considera que a experiência do narrador e a história pessoal organizam as impressões sobre a paisagem física e social, o que permite pensar o livro como uma espécie de “autorretrato”, em que se evidenciam traços de um perfil individual, de uma trajetória intelectual e de uma cena cultural, a do Recife dos anos de 1920 e 1930.

A primeira edição do Guia prático, histórico e sentimental da cidade do Recife tem assim uma dupla função: primeiramente, abre caminho para a divulgação das cidades, em formato de guia turístico, ressaltando suas configurações e cenários. Além disso, trata-se de um marco, um registro de memória, mostrando o quanto um livro pode representar sob o ponto de vista de sua materialidade, com histórias e trajetórias próprias e encantadoras.

A Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro fica na Rua do Carmo, 27, 2º andar, Centro – Rio de Janeiro/RJ. O atendimento para consultas à coleção Octavio Tarquinio e Lucia Miguel Pereira é realizado de segunda a sexta-feira, das 11h às 17h. Mais informações pelo telefone (21) 2332-7314 ou pelo e-mail [email protected]

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Anna Rennhack: “economia não justifica o empobrecimento da produção de livros”

Próximo post

BN promove lançamentos de livros e debate no dia do bibliotecário