0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

As atividades começaram há pouco tempo, mas o potencial colaborativo do Grupo de Discussão em Coleções Especiais Jurídicas (GDCEJ), vinculado ao Grupo de Profissionais em Informação e Documentação Jurídica do Rio de Janeiro (GIDJ/RJ), tem se mostrado evidente, avalia Thiago Cirne, bibliotecário do Centro de Estudos Jurídicos da Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (CEJUR/PGE-RJ) e coordenador do Grupo.

Ele explica que no início de 2016 a diretoria do GIDJ/RJ estava animada com sua agenda de atividades, mas ainda faltava algo que reunisse os profissionais regularmente e que atendesse algumas necessidades específicas na área. “Tínhamos uma lacuna com problemas e questionamentos sobre o tema das obras raras e preciosas. Só faltava o compartilhamento e o debate. Decidi levar a proposta sobre a criação de um Grupo de Discussão à diretoria, que aprovou a iniciativa e hoje temos a satisfação de ser o primeiro dedicado à área jurídica”, lembra Cirne.

Thiago Cirne, coordenador do GDCEJ, durante uma das reuniões do Grupo. Foto: Arquivo pessoal

Segundo o bibliotecário, o GDCEJ, que tem por objetivo incentivar e aprofundar os debates em torno da formação, desenvolvimento, análise e gestão de acervos bibliográficos raros e preciosos, salvaguardados pelas instituições participantes, realizou nesse seu primeiro ano de existência cinco reuniões com a presença de bibliotecários, estudantes de biblioteconomia e interessados no tema.

“Temos uma média de 20 a 30 inscritos por reunião entre profissionais e estudantes. Vejo isso como um resultado positivo, que mostra o interesse crescente pelo estudo e gestão de coleções especiais. Além disso, lançamos a página do GDCEJ na web, o que aumenta a possibilidade de colaboração de mais profissionais já que podem sugerir sites, artigos e documentos relevantes para nossas atividades”, avalia o coordenador.

“O objetivo é fazer com que mais gestores e pesquisadores em coleções especiais enviem suas sugestões e divulguem estudos”, esclarece Cirne. A página pode ser acessada pelos endereços www.gdcej.wordpress.com ou www.gidjrj.com.br, site principal do GIDJ/RJ, ao qual está vinculado.

Para a presidente do GIDJ/RJ, Kelly Pereira de Lima, cada vez mais os profissionais de informação estão sendo convocados para serem curadores de acervos relevantes. “Este grupo de discussão nasce da necessidade dos profissionais compartilharem seus anseios e suas dificuldades. O GDCEJ cumpre um dos objetivos das Comissões e dos Grupos Especializados de Trabalho. Fico feliz por essa iniciativa e deixo aberta para próximos Grupos de Discussão”, analisa.

Perguntado sobre as perspectivas para o futuro, Cirne destaca que o importante é não perder a frequência das reuniões. “Esse é o primeiro desafio. Todos estão atarefados e dedicar tempo a essa atividade não é uma tarefa simples. Esse ano conseguimos cumprir nosso cronograma e é fundamental continuarmos assim. Para 2018 pretendemos organizar o primeiro Seminário do GDCEJ. Seria um salto qualitativo nas atividades e temos tudo para conseguir”, anima-se.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Observadores invisíveis e seus cacos de vidro

Próximo post

MultiRio lança série de programas sobre literatura