3
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Na tentativa de valorizar o diálogo e a troca literária, a poetisa Débora Garcia dá sequência à agenda do projeto “Encontro com a autora Débora Garcia – Semear poesia, colher cidadania” faz quatro palestras em três escolas neste mês de setembro, somando cerca de 400 alunos em contato com a poesia. As ações ocorrem entre os dias 12 e 18, são gratuitas e realizadas em escolas públicas.

Os encontros são a forma que Débora Garcia encontrou para partilhar sua experiência de superação pessoal através da literatura e também para divulgar o livro e trabalhar na construção de seu público leitor.

“No encontro com a autora, eu relato um pouco da minha trajetória de vida. Falo sobre a importância dos estudos e de como a literatura abriu meus horizontes. Foi a partir do estudo e do contato com a literatura que eu me reconheci enquanto mulher negra, que eu passei a entender a conjuntura sociopolítica brasileira. Foi o conhecimento que fez eu compreender o meu lugar de fala e o quanto ele é importante para as transformações que almejo enquanto indivíduo e sociedade. É um bate papo bem descontraído, no qual os alunos fazem perguntas e participam ativamente. Os encontros sempre são encerrados com poesia e música, para que a nossa vivência seja completa”, explicou a autora.

Alunos de escolas públicas se encontram com a autora. Foto: divulgação

O projeto é desenvolvido desde 2014, mas recentemente, há maior procura por unidades de ensino, especialmente na zona leste, região onde a autora reside e atua. “Os encontros tem sido mais requisitados e eu penso que isso reflete-se na consolidação do meu trabalho e atuação na região”, completou.

As palestras geralmente são desenvolvidas em escolas da rede pública municipal que já têm no plano pedagógico atividades que visam o incentivo à leitura, como as Academias Estudantis de Letras (AEL) e o Projeto de Mediação de leitura. Nestes projetos os alunos são envolvidos em ações de leitura dentro e fora das escolas. Mas não há nenhum tipo de restrição já que escolas estaduais e particulares também podem receber a palestra.

“Esse reconhecimento por parte da comunidade reflete o fortalecimento da sua identidade. Antes de a nossa literatura – periférica – entrar na comunidade escolar, os alunos frequentemente escolhiam autores de outras épocas e que integram o cânone da literatura brasileira. Hoje, eles querem homenagear o artista local, pois se reconhecem na sua imagem e na sua obra. Reconhecer o artista local é reconhecer a si mesmo, e eu fico realizada em fazer parte disso”, destacou.

Além da palestra com os alunos, Débora também realiza formação para os professores. Nesta, aborda com os profissionais o contexto da produção literária nas periferias, bem como, a possibilidade de desenvolver o protagonismo dos alunos através da realização de atividades literárias, tais como saraus, slams, feiras e encontros literários.

Serviço

Confira a agenda dos encontros

12/09 às 19h30

Emef Prof. Maílson Delane, Cidade Tiradentes, SP

13/09 às 12h30

Emef Dep. Caio de Toledo, Cidade Tiradentes, SP

15/09 às 10h

Emef Dep. Caio de Toleto, Cidade Tiradentes, SP

18/09 às 19h

Emef Idêmia de Godoy, Guaianazes, SP

Para agendar uma visita em sua escola, acesse:

E-mail: [email protected]

Facebook: facebook.com/deboragarciapoetisa

(11) 98598-4495

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comments

comments

Postagem anterior

Paço Imperial: patrimônio histórico brasileiro foi alvo depredação no Rio

Próximo post

As bibliotecas de Fidel