3
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

O que poderia parecer meio inusitado, agradou ao público nas redes sociais.  Tanto a Biblioteca Parque de Niterói (BPN) quanto o Museu Histórico Nacional (MHN), ambos no Rio de Janeiro, prepararam uma programação para um público específico: os nerds.

Segundo a Wikipédia (2017), não há uma definição única sobre o termo nerd, apenas características e gostos diferentes de alguns adolescentes e jovens, como possuir uma inteligência acima da média, gostar de tecnologia, games, ficção científica, da cultura medieval e oriental, não curtir baladas noturnas etc. A origem desse estereótipo veio dos Estados Unidos e surgiu entre as décadas de 1960 e 1970.

A Biblioteca Parque de Niterói (BPN) criou uma agenda diferente para este mês de setembro e o denominou como o mês Nerd. Segundo a diretora, Cláudia Ricci, a inspiração para esta programação veio após uma pesquisa da Amazon.com que indicou a cidade de Niterói como a segunda cidade mais nerd do país (ficando atrás apenas de Florianópolis), movimentando assim o mercado local e o mundo Geek na Internet.

Coincidentemente, o mês escolhido pela BPN é também o mês de aniversário do Mario Bross, um dos personagens de games mais conhecidos e queridos de todos os tempos, principalmente, dos nerds. O encanador bigodudo e gorducho foi criado por Shigeru Miyamoto em 1985 e lançado pela Nintendo. Considerado um clássico, Super Mario Bross foi o jogo mais vendido da história dos games.

A programação da Biblioteca Parque de Niterói é voltada para o público de todas as idades e tem como título “O universo dos animes, dos super-heróis, dos quadrinhos, da ficção científica, da robótica e dos jogos de tabuleiro invade a Biblioteca”, incluindo uma agenda bem diversificada: rodas de conversa e de leitura jovem, exibição de filmes clássicos de ficção científica,  cine debate, mesas de RPG, oficinas com jogos de tabuleiro, além de uma exposição do acervo do artista Marcos Jardim (Espaço Café Paris na BPN).

No Museu Histórico Nacional (MHN) acontecerá o seminário “Games e Museus – A história em jogo (games – museu – tecnologia)” e o curso “Jogos e ensino de história”, com o professor Christiano Britto da Universidade Federal Fluminense (UFF). A programação deste seminário pode ser conferida no Facebook da instituição.

Segundo o site conhecendomuseus.com.br, o MHN fará uma exposição “A Era dos Games” de dezembro a março de 2018. Nela, o público visitante terá a oportunidade de conhecer mais de 150 games das empresas Atari, Nintendo, Sega, Microsoft e Sony. A exposição será dividida em 13 seções temática e o Brasil estará presente entre elas.

Atualmente o MHN possui entre suas peças museológicas, na Coleção de Brinquedos, um Atari (um dos primeiros videogames da década de 1980), como pode ser visto no site da instituição.

E por falar em jogos, foi noticiado há pouco tempo que o clássico da literatura estrangeira Animal Farm ou Revolução dos Bichos de George Orwell (1945) terá também a versão game. Desenvolvedores de games já possuem a autorização da família Orwell para fazer a adaptação do livro que foi inspirado na Revolução Russa e em medidas políticas e socioeconômicas da União Soviética.

Segundo o anúncio oficial, “o objetivo do jogo é transmitir a crítica ao totalitarismo e à corrupção do poder presentes no trabalho original de Orwell.”  O livro foi considerado pela revista Time entre os cem melhores da língua inglesa e pela Modern Library List obteve o 31º lugar de melhor romance do século XX. A obra já foi adaptado para o teatro, o rádio e o cinema.

Serviço

O Museu Histórico Nacional localiza-se na Praça Marechal Âncora s/n°, Centro – Rio de Janeiro – RJ. Seu funcionamento é das 10h às 17h30 (de terça a sexta-feira) e das 13h às 17h (nos sábados, domingos e feriados). O ingresso para a exposição permanente é no valor de R$10,00. Como a exposição “A Era dos Games” será temporária, ainda não se sabe o valor do ingresso.

Já a Biblioteca Parque de Niterói fica localizada na Praça da República, s/n, Centro, Niterói – RJ, funcionando das 11h às 19h (de terça a sábado), tendo o estacionamento gratuito aos sábados. A entrada é gratuita.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Certas baratas não morrem com inseticida - parte 1

Próximo post

Em tempo de futuro do pretérito, a saída é conjugar o presente