3
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A organização não-governamental (ONG) Espaço Jango anunciou ontem (16) que poderá assumir a administração das três bibliotecas-parque do Rio de Janeiro: do Centro, Rocinha e Manguinhos. De acordo com a ONG, a instituição deu entrada no dia 04 de julho de 2017, junto a Secretaria Estadual de Cultura do Rio de Janeiro, a um pedido de concessão não onerosa das bibliotecas pelo período de 25 anos. Como contrapartida, a entidade se comprometeu a dar todo o suporte necessário ao Sistema Estadual de Bibliotecas, responsável pela assessoria às bibliotecas do estado e que está sediada na Biblioteca-Parque Estadual.

“Nosso objetivo é o de reabri-las [as bibliotecas-parque] à população gratuitamente sem fazer uso de um centavo sequer de recurso público, uma vez que o governo do estado do Rio de Janeiro, assim como o funcionalismo público estadual, incluindo setores da própria Cultura, (como os heróicos funcionários e artistas do Teatro Municipal), passam por grandes dificuldades econômicas sem previsão de uma solução efetiva e concreta”, disse em nota o Espaço Jango.

Crianças participam do 1º Baile de Carnaval na Biblioteca-Parque da Rocinha. Foto: Salvador Scofano / www.rj.gov.br.

Ainda de acordo com o informe, o objetivo é o de restabelecer o funcionamento das unidades “de forma consequente e responsável”, apenas com recursos da iniciativa privada (patrocinadores), sem utilização de nenhuma lei de isenção fiscal e sem que haja nenhum novo risco de fechamento por falta de recursos. “Nosso objetivo é preservar um bem público voltado para a Cultura e Educação até que o estado enfim consiga se reerguer”, esclareceram.

Conforme informamos recentemente em reportagem da Biblioo, o superintendente de Conhecimento e Leitura da Secretaria Estadual de Cultura do Rio (SEC), Juca Ribeiro, havia anunciado para o mês de agosto a reabertura das bibliotecas. Na ocasião ele não deu detalhes como isso aconteceria.

Secretário de Estado de Cultura, André Lazaroni.

Em entrevista à Biblioo em março deste ano, o secretário de Cultura, André Lazaroni, informou que a Biblioteca-Parque Estadual, localizada no Centro do Rio, voltaria a funcionar com o emprego de servidores da área da Educação, dentre os quais professores, situação que nunca se confirmou.

 

O Espaço Jango trabalha com o conceito de Retrofit, transformando espaços públicos abandonados em espaços arquitetonicamente modernos, respeitando seu viés histórico e criando centro culturais abertos à população.

“A situação das Bibliotecas-Parque, apesar de não se enquadrar completamente em nosso principal campo de ação nos sensibilizou. Foi em função desse sentimento, o de devolver à população espaços tão especiais quanto esses, que tomamos como prioridade sua reabertura. Estamos lutando bravamente para transformar esse projeto em realidade. Já cumprimos todas as exigências que nos foram feitas. Agora só nos resta aguardar a decisão política, que esperamos ser em favor, acima de tudo, de nossa população já tão ferida e desassistida. Contamos acima de tudo com o apoio de vocês”, apelou a instituição.

Biblioteca-Parque de Manguinhos. Foto: divulgação.

Nós procuramos a direção do Espaço Jango indagando sobre possível data de reabertura das bibliotecas, expectativa de investimentos financeiros e contratação de pessoal, especialmente bibliotecários. Em resposta, a instituição informou que tomou a decisão de não se pronunciar mais até a decisão final da Secretaria Estadual de Cultura.

“Independente da decisão ser a favor ou contra cessão não onerosa, nossa Presidente Denize Goulart, filha do Presidente João Goulart, e sua mãe Dona Maria Thereza Goulart, esposa do Presidente João Goulart, darão uma entrevista coletiva a respeito[…] No mais acreditamos que todas as informações que deveriam ser prestadas a população se encontram em nosso anúncio oficial”, informaram.

Abaixo a íntegra do anúncio:

“O Espaço Jango torna público que no dia 04 de julho de 2017 deu entrada, junto a Secretaria Estadual de Cultura do Estado do Rio de Janeiro, no pedido de Concessão não onerosa das Bibliotecas Parque do Estado (Av. Presidente Vargas, Rocinha e Manguinhos) pelo período de 25 anos. Como contrapartida, nos oferecemos para dar todo o suporte necessário ao Sistema Estadual de Bibliotecas (responsável pelo atendimento de mais de 90% das bibliotecas municipais do Estado) instalado na Biblioteca Estadual da Avenida Presidente Vargas até o seu fechamento. Nosso objetivo é o de reabri-las à população gratuitamente sem fazer uso de um centavo sequer de recurso público, uma vez que o Governo do Estado do Rio de Janeiro, assim como o funcionalismo público estadual, incluindo setores da própria Cultura, (como os heróicos funcionários e artistas do Teatro Municipal), passam por grandes dificuldades econômicas sem previsão de uma solução efetiva e concreta. Nosso objetivo é o de reabri-las de forma consequente e responsável, apenas com recursos da iniciativa privada (patrocinadores), sem utilização de nenhuma lei de isenção fiscal e sem que haja nenhum novo risco de fechamento por falta de recursos. Nosso objetivo é preservar um bem público voltado para a Cultura e Educação até que o Estado enfim consiga se reerguer. Não consideramos o puro e simples pagamento de dívidas comprovante suficiente do término de tamanha insolvência. A população precisa de mais e nós estamos dispostas a colaborar.

O Espaço Jango desde seu início tem como objetivo, através do Retrofit (conceito de transformar espaços públicos abandonados em espaços arquitetonicamente modernos, respeitando seu viés histórico), criar centro culturais abertos a população. A situação das Bibliotecas Parque, apesar de não se enquadrar completamente em nosso principal campo de ação nos sensibilizou. Foi em função desse sentimento, o de devolver a população espaços tão especiais quanto esses, que tomamos como prioridade sua reabertura. Estamos lutando bravamente para transformar esse projeto em realidade. Já cumprimos todas as exigências que nos foram feitas. Agora só nos resta aguardar a decisão política, que esperamos ser em favor, acima de tudo, de nossa população já tão ferida e desassistida. Contamos acima de tudo com o apoio de vocês.”

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comments

comments

Postagem anterior

Campanha Sou Biblioteca Escolar

Próximo post

Ouro Preto (MG), a cidade que respira história, leitura e conhecimento

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *