0
Compartilhamentos
Pinterest Google+

Antes que pensem que este é um texto de protesto afirmo que sim. Mas também é um texto sobre a reflexão político-cultural que norteia às práticas biblioteconômicas. Um discurso de categoria profissional pode apresentar um viés parcial no sentido de só compreender a relevância estratégica do profissional, sem uma preocupação mais prioritária com a instituição em que este profissional atua.

Fazendo um adendo, tem sido muito comum o uso de discursos valorizando o bibliotecário, mas sem promover o devido valor político-cultural ao seu ambiente principal de atuação que é a biblioteca, conforme podemos observar em relação a biblioteca escolar e a execução/implementação da Lei 12.244/10. Há forte preocupação com a inserção do profissional na biblioteca escolar, mas sem a devida proporção de elaboração de propostas e práticas que valorizem intensivamente este ambiente.

Leia o texto completo na edição 56 da Revista Biblioo. Clique aqui e adquira em nossa loja virtual.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!
Post anterior

Calero é empossado e diz que será o ministro do diálogo

Próximo post

As algemas da ideologia

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

17 − um =