0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

acessibilidade

Funcionários de biblioteca tentam auxiliar portadores de deficiência com os equipamentos (Foto: Reprodução/RBSTV)

Do G1 SC

Apesar de ser considerada referência em acessibilidade, a Biblioteca Barreiros Filho, na região continental de Florianópolis, não dispõe de um profissional capacitado para operar os equipamentos que auxiliam os deficientes visuais a consultarem o acervo.

Além de ter rampa de acesso para as galerias de livros e banheiros adaptados, o local dispõe de mais de 200 títulos em braile, além de obras audiovisuais, computadores, máquina de escrever, impressora e scanner.

“Este projeto foi idealizado pelo Ministério da Cultura, por meio do Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas junto a uma ONG responsável pela capacitação das bibliotecas”, disse Leila Daiane Fagundes, diretora da biblioteca. Ela conta que, entre dez bibliotecas com mais acessibilidade, a Barreiros Filho ficou em quinto lugar.

Equipamentos para leitura
Para operar os equipamentos para leitura dos deficientes visuais é necessário o auxílio de um profissional. “Um operador desses equipamentos é fundamental, porque não adianta os equipamentos estarem aqui e não termos as pessoas capacitadas para operá-los”, disse Jairo da Silva, presidente da Associação Catarinense de Integração do Cego.

“Junto à secretaria do Continente está sendo providenciada uma pessoa para atender a todo esse público”, explicou a diretora. “Alguns funcionários sabem lidar com algumas máquinas, mas estamos aguardando uma pessoa capacitada, para atender com mais eficiência esse público.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Ministério da Cultura demite mais de 70 funcionários

Próximo post

Professores do Rio suspendem greve e voltam às aulas depois de quase cinco meses

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *