1
Compartilhamentos
Pinterest Google+

O ano de 2016 não foi fácil para ninguém, muito menos para os veículos de mídia alternativa, como é o caso da Biblioo. Dessa forma, o ano de 2017 nos impõe o desafio de ao mesmo tempo levar informação de qualidade aos nossos leitores – profissionais da área do livro, leitura e bibliotecas em sua grande maioria – e ao mesmo tempo lutar pela sobrevivência.

Ao contrário do que acontecia antes, quando a edição mensal ditava o ritmo do trabalho, agora o site passa a ser o carro-chefe da publicação. A Revista propriamente dita deixará de ser mensal e passará a ter sua periodicidade mais dilatada: trimestral.

Novo logotipo da Biblioo.
Novo logotipo da Biblioo.

Mesmo com essas alterações o projeto continua com a proposta de ser um espaço de construção de conteúdos e publicações de forma colaborativa. A formação continua a mesma dos últimos anos tendo o Chico de Paula como editor-chefe, Hanna Gledyz como editora de comunicação e criação, Rodolfo Targino como editor adjunto e todos os demais colaboradores permanentes que através de suas ideias e colaborações nos ajudam a construir um conteúdo de qualidade e colaborativo.

Editores da Biblioo durante cobertura do Bibliocamp 2016 no Rio. Rodolfo Targino, Hanna Gledyz e Chico de Paula.
Editores da Biblioo durante cobertura do Bibliocamp 2016 no Rio. Rodolfo Targino, Hanna Gledyz e Chico de Paula.

Além disso, daremos continuidade ao espaço denominado “Participe!”, onde os interessados em nos enviar artigos, resenhas, crônicas, reportagens etc., podem assim fazer. Essa medida além de ser um incentivador para nosso projeto, também é uma forma de incentivar os profissionais e o estudantes a participarem dessa empreitada, divulgando e compartilhando suas ideias.  

A reformulação deverá também agilizar o processo de publicação dos conteúdos que, na era da internet, exige muito mais velocidade. Como é de conhecimento geral, muitos fatos que se apresentam de uma forma pela manhã, não estão da mesma forma ao final do mesmo dia. E isso faz uma diferença tremenda para quem precisa apurar, garantindo qualidade da informação, e publicar em tempo hábil.

A informações veiculadas pela Biblioo a partir desta reformulação devem, fundamentalmente: 1) agregar conhecimento; 2) promover instrução e/ou 3) revelar curiosidades, tudo pautado por princípios éticos, respeitando a diversidade e a pluralidade de ideias em conformidade com os direitos humanos. A ideia é que a publicação contribua de forma efetiva com os seus leitores. Para que estes objetivos se concretizem, a equipe trabalhará com diversas parcerias, indo de grupos de pesquisas a organizações da sociedade civil.

Vale lembrar que a Biblioo, além da publicação online e impressa, atua também com um canal no YouTube (a TVbiblioo), além das redes sociais (Facebook, Twitter e Flickr) e a Loja onde são comercializados as publicações como livros, edições virtuais da revista e cadernos especiais, todos dedicados a levar informação de qualidade ao universo que permeia a biblioteconomia e seus profissionais. Tudo isso organizado sob um “guarda-chuva” chamado Agência Biblioo que, a propósito, vem também se dedicando à publicação de livros, cobertura de eventos, entre outros.

Propostas e desafios

Como um empreendimento que procura levantar uma série de debates relacionados ao universo do livro, leitura e bibliotecas, a Biblioo continuará empenhada em fazer o acompanhamento in loco de diversos eventos, assim como ocorreu recentemente quando estivemos presentes no, entre outros, Painel de Biblioteconomia, em Santa Catarina, no Território Leitor, em Brasília, no Fórum de Inovação e Empreendedorismo na Biblioteconomia e no Fórum Brasileiro de Bibliotecas Públicas, ambos em São Paulo.

Além disso, também continuaremos dedicados a promover nossas próprias atividades de discussão, como o Seminário Diálogos Biblioo que em 2017 chega a sua terceira edição ainda sem data e tema definidos, além de outras atividades como eventos em comemoração ao dia do bibliotecário, coberturas especiais etc.

No que se refere à Agência Biblioo, esta deverá continuar publicando bibliografias com temas relevantes para a área, buscando estimular a produção editorial na biblioteconomia e incentivando novos autores e pesquisadores. Especificamente neste ponto, entendemos que é fundamental o apoio aos novos profissionais que buscam incessantemente seu espaço no mercado, além de contribuir para a construção/consolidação do arcabouço teórico da área, trazendo novas perspectivas de abordagem e contribuindo para a renovação do pensamento acerca de diversos temas.

Empreendedorismo na Biblioteconomia

O caracol que queria ser uma bicicleta

Tópicos em biblioteconomia e ciência da informação: epistemologia, política e educação

Livros publicados pela Agência Biblioo. Clique para adquirir!

É também uma das metas da Biblioo para 2017 e anos seguintes compor o máximo possível de plataformas e bases de dados institucionais, como acontece atualmente quando a publicação faz parte do acervo da Nuvem de Livros e da Árvore de Livros, ambas bibliotecas virtuais.  

“A Biblioo não precisa mais provar que é útil e necessária. Os bibliotecários e todos os demais profissionais da informação têm nela um canal independente e acessível para veicular suas ideias, suas opiniões e suas realizações. Uma tribuna livre, aberta para o mundo da prática e do debate. Que continue cada vez melhor.” Briquet de Lemos – bibliotecário, professor e editor.


“Gosto da Biblioo. Motivos? Apenas um: ela é ousada, o que não é predicado pequeno, pelo menos por estas bandas de cá. Basta consultar os periódicos de nossa área para se surpreender com a brabeza destas meninas e meninos que editam, entrevistam, publicam e fotografam. E sejamos honestos: quantas revistas brasileiras se atrevem a discutir, com a objetividade devida, os problemas cotidianos enfrentados pelos bibliotecários de nosso país? E quais delas permitem que gente ordinária – entenda-se bibliotecários de chão de fábrica, desprovidos de títulos acadêmicos –, compartilhe suas dores e projetos de esperança com os colegas de profissão? Ça suffit. Vida longa à Biblioo!” Cristian Brayner – diretor do Departamento de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) do Ministério da Cultura (MinC).


“Conheci o trabalho da Biblioo em 2013 e fiquei encantada com a qualidade do projeto. Além de ser inovadora, a proposta da Biblioo une uma reflexão crítica, criativa e empreendedora da Biblioteconomia. Com várias frentes de atuação (cobertura e organização de eventos, participações em debates e ações políticas, publicações etc.), a Biblioo possibilita um espaço virtual onde os bibliotecários tem acesso a conteúdos pertinentes e atualizados. A equipe da Biblioo atua de forma voluntária em benefício da sociedade ao trazer pontos importantes para discussão e autorreflexão dos bibliotecários que tem uma responsabilidade muito grande para o desenvolvimento social, político e educacional do país.” Daniela Spudeit – professora do curso de biblioteconomia da UDESC

Histórico da Biblioo

2010

No início era a ideia que logo se materializaria. Estudantes de biblioteconomia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) pensam em uma forma mais ativa de militar no mundo das ideias. A solução encontrada foi desenvolver uma revista eletrônica que de um lado promovesse a atividade dos bibliotecários junto à sociedade e de outro garantisse uma fonte de informação a estudantes e profissionais da área. Mas faltava experiência e o projeto demoraria um pouco a sair do papel.

2011

Preliminarmente pensada sob o título de “Cultura B”, a publicação assume o título de “Biblioo”, nome do blog desenvolvido pela estudante de biblioteconomia da UNIRIO, Hanna Gledyz, que atualmente desenvolve a função de editora de comunicação e criação do projeto.

O sonho se realizaria em junho com uma edição simples finalizada durante a madrugada. Na capa, a Revista Biblioo trazia uma matéria sobre a lei da biblioteca escolar e a primeira parte de uma extensa entrevista concedida à publicação por Edson Nery da Fonseca em sua casa em Olinda, Pernambuco. Desenvolvida sob a batuta da Biblioo Publicações, a editora viria a existir formalmente tempos depois.

2012

Em parceria com o Grupo de Informação e Documentação Jurídica do Rio de Janeiro (GIDJ), Contempory Informática e Procuradoria Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ), a Revista Biblioo organizou o V Seminário de Informação e Documentação Jurídica do Rio de Janeiro. O evento teve repercussão muito positiva, projetando-se desde logo edições futuras.

No mesmo ano, em virtude de uma reformulação interna e ajustes técnicos, a Bibioo fica fora do ar de agosto a novembro.

Em novembro de 2012 a Biblioo retoma suas atividades completamente reformulada. Visual e conteúdo ganham novidades com novo layout e novas seções. Novos colunistas passam a integrar o time de colaboradores e a logomarca ganha novo formato. Dentre as novidades desta etapa estão a versão diagramada da Revista que pode ser adquirida pelos leitores na loja e a TV Biblioo que passa a trazer conteúdos em vídeos.

2013

A Revista Biblioo passa a integrar a Nuvem de Livros, biblioteca virtual da Gol Mobile com mais de 1 milhão de usuários.

Institucionalizada, a Biblioo Publicações, editora da Revista Biblioo, passa a existir formalmente. Tendo editada a Revista desde o princípio, a editora se lança no desafio de editar outras publicações e em parceria com a comissão organizadora do XIII Encontro de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação das regiões Sudeste e Centro-Oeste (EREBD SE/CO) publica os anais do evento e o distribui gratuitamente em sua loja virtual.

2014

Em março a Revista Biblioo publica seu primeiro caderno especial. Intitulado “Livros & Ideias: censura no regime militar brasileiro”, a edição contou com reflexões de diversos colaboradores sobre os anos de chumbo, sobretudo no que se refere a uma de suas facetas mais nefastas: o controle da circulação das informações e ideias, sobretudo aquelas materializadas em livros e outros documentos.

Lançada a Agência Biblioo, cujo propósito é realizar trabalhos editoriais, educacionais e de internet alinhados com os propósitos e identidades do cliente. No portfólio, trabalhos importantes como o desenvolvimento do site do Grupo de Informação e Documentação Jurídica do Rio de Janeiro (GIDJ).

Em dezembro a Agência Biblioo lançou seu segundo caderno especial. Intitulado “O Museu da Maré Fica!”, a publicação mostra a situação do Museu da Maré, espaço cultural popular localizado na Zona Norte do Rio que sofria uma ameaça de despejo.

2015

Em maio a Agência Biblioo promove a cobertura jornalística do Bibliocamp, uma desconferência que vem sendo realizada por bibliotecários desde 2011. Realizada na Biblioteca Parque Estadual do Rio, o evento reuniu grandes nomes da biblioteconomia brasileira e também profissionais de outras áreas.

Em junho a Agência Biblioo realiza a primeira edição do Seminário Diálogos Biblioo que recebeu o título: “Lei da Biblioteca Escolar: houve avanços em seus cinco anos de existência?” Realizado no auditório Mário Lago da unidade do Colégio Pedro II de São Cristovão, no Rio, contou com a participação de bibliotecários, professores, pesquisadores e interessados pelo tema.

Em julho a Agência Biblioo realiza a cobertura jornalística do IV Fórum Brasileiro de Bibliotecas Públicas realizado em paralelo com a vigésima sexta edição do Congresso Brasileiro de Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação (CBBD), na cidade de São Paulo. Organizado pelo Sistema Nacional de Bibliotecas Públicas (SNBP), a quarta edição do fórum teve como temática principal: “Inovação, Desenvolvimento e Sustentabilidade”.

Em novembro a Agência Biblioo faz a cobertura jornalística da 33ª edição do Painel de Biblioteconomia de Santa Catarina, realizado na cidade de Joinville. O evento versou sobre o seguinte tema: “Além das paredes das bibliotecas: evolução e atuação bibliotecária nos últimos 40 anos”.

Em dezembro a Agência Biblioo realiza a cobertura jornalística do I Encontro Internacional Território Leitor promovido pelo Ministério da Cultura e pela então Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB) e realizado no Senado Federal, em Brasília. O Evento discutiu políticas, ações e iniciativas voltadas para área do livro e da leitura.

Ainda em dezembro o conteúdo produzido pela Agência Biblioo passa a integrar também a Árvore de Livros, uma das maiores plataformas de leitura digital do país.

2016

Em março a Agência Biblioo lança seu primeiro livro. A publicação “Tópicos em Biblioteconomia e Ciência da Informação: epistemologia, política e educação”, de autoria do professor e bibliotecário Jonathas Carvalho, circula pelo país. A obra serve de instrumento de reflexão aos estudantes, profissionais e acadêmicos acerca do papel do bibliotecário em nossa sociedade. O livro está sendo comercializado na loja da Biblioo.

Em junho, como parte das comemorações dos seus cinco anos, a Revista Biblioo realiza a segunda edição do Seminário Diálogos Biblioo. Com temática voltada para o debate em torno do papel dos bibliotecários acerca dos direitos autorais, o evento foi realizado na Biblioteca Parque Estadual do Rio (BPE) e contou com a participação de bibliotecários, profissionais, pesquisadores e estudantes.

Durante o II Seminário Diálogos Biblioo também foi lançada a terceira edição do Caderno Especial que tem como título: “Direitos autorais: o que os bibliotecários têm a ver com isso?”. Com conteúdo voltado para a temática dos direitos autorais, o caderno especial tem reportagens, entrevistas com bibliotecários e pesquisadores e artigos elaborados pelos bibliotecários Briquet de Lemos e Moreno Barros. Tanto a versão impressa, como a virtual dessa publicação estão sendo comercializadas na loja da Biblioo.

Em agosto a Agência Biblioo lança seu segundo livro. A publicação “Empreendedorismo na Biblioteconomia” tem organização da professora e pesquisadora Daniela Spudeit e reúne capítulos oriundos de experiências e ações das atividades de extensão e ensino de cursos de graduação e pós-graduação. O livro está sendo comercializado na loja da Biblioo.

Ainda em agosto a Agência Biblioo fez a cobertura jornalística do primeiro Fórum de Inovação e Empreendedorismo na Biblioteconomia, realizado na Biblioteca de São Paulo, localizada no Parque da Juventude, na Zona Norte da cidade. Idealizado por bibliotecários de diferentes regiões do país, o evento buscou identificar e compartilhar experiências e práticas profissionais.

Em novembro a Agência Biblioo publicou seu primeiro livro infantil que recebeu o título de “O caracol que queria ser uma bicicleta”. A história do livro foi construída a partir da vivência do autor, Paolo Vittoria, e sua filha, Elisa Vittoria. As ilustrações da obra são de autoria do saudoso ilustrador e artista plástico, Gilvan Vieira. O livro está sendo comercializado na loja da Biblioo.

2017

Em 2017 a Biblioo se lança ao desafio de continuar produzindo conteúdo de qualidade ao mesmo tempo sobreviver. Para isso reformula sua cara e sua forma de abordar e disponibilizar a informação. O carro-chefe passa a ser o site, atualizado agora apenas com conteúdo exclusivo. A Revista para a ser trimestral.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!
Post anterior

A "Biblioteca de Taipa" precisa da sua ajuda

Próximo post

Thank you, Senhora Dressel! Crônica sobre uma biblioteca desativada

Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove − seis =