Autor do Arquivo

Jonathas Carvalho

mm

Professor do curso de biblioteconomia da Universidade Federal do Cariri (UFCA). Mestre e doutor em Ciência da Informação pela UFPB. Colabora de forma permanente com a Biblioo.

Entre os dias 19 e 25 de julho foi realizado o XXXVIII Encontro Nacional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência e Gestão da Informação (ENEBD), sediado em São Luís, sob a organização dos estudantes de Biblioteconomia da Universidade Federal do Maranhão (UFMA).

Este texto representa sinteticamente as perspectivas do projeto de pesquisa intitulado A biblioteca pública como mídia: a construção de um modelo de atuação no brasil, desenvolvido no curso de Biblioteconomia da Universidade Federal do Cariri que busca compreender na articulação teórico-prática os significados de informação na biblioteca, uma nova percepção conceitual de biblioteca pública e a construção da biblioteca pública no Brasil como mídia alternativa, sendo este último um redimensionador do significado de informação na biblioteca.

Iniciando de forma incisiva, evidentemente que este texto não tem o objetivo positivista de olhar o fenômeno da Lei 12.244/10 apenas no período de 2010 a 2020, mas propor minimamente uma ação que constitua um primado da biblioteca escolar para o futuro considerando as questões prementes da educação básica em consonância com possíveis contribuições da Biblioteconomia.

Por que cursar Biblioteconomia e ser bibliotecário(a)?

Uma de minhas maiores indignações na Biblioteconomia é quando vejo estudantes, profissionais e professores quando abordados sobre perguntas como “O que faz o bibliotecário?” ou “O que estuda a Biblioteconomia?” e a resposta vem ressonantemente vazia: o bibliotecário não trabalha apenas em biblioteca ou a Biblioteconomia não se estuda apenas para atuar em biblioteca.

É preciso considerar que há outros bibliotecários na história do Brasil que exerceram de forma mais prioritária o exercício da profissão com ações marcadas por grandes feitos profissionais, políticos e/ou acadêmicos

Profissão incômoda ou parceira para o bibliotecário?

O Brasil vive um tempo de difíceis distinções no desiderato da prática política. Difíceis em virtude da conduta calcada em adequações ideológicas líquidas, conforme perspectivas de manutenção ou tomada de poder. Distinções em …

Qual a relação entre a biblioteca e o processo de regulação da mídia?

Na história da Biblioteconomia brasileira muito tem sido discutido acerca do papel dos órgãos de classe, em especial, no que tange a dualidade perspectivas/potencialidades de ação e passividade/inoperância. Em tese, essa discussão, embora …