Autor do Arquivo

Augusto Brito Montano

Augusto Brito Montano

Professor de língua portuguesa/ literaturas pela UFF. Especialista em Literatura e mestrando em Letras pela UFRJ. Arquivista do Centro de Tecnologia da UFRJ.

Profetizando sobre “livros eletrônicos” assim como foi profetizado em 1938 que“máquina de escrever que irá substituir a caneta”, tivemos em 1985, na revista PC Magazine, Gary Kildall, apresentado como fundador da Digital Research …

 Em minha vivência em um centro de documentação pude perceber uma confusão terminológica do que se configura “obra rara”. Trabalhei administrando um centro de documentação que era coordenado por professores universitários. Para esses …

Segundo Martín Almada (Prêmio Nobel Alternativo da Paz 2002) em sua palestra proferida no Senado francês, Paris, novembro de 2013, em 22 de dezembro de 2013 completou-se 21 anos de descoberta de um …

Fui questionado por uma amiga que estava nervosa com a quantidade de “papéis” acumulados em sua residência. Papéis que se referiam aos recibos diversos que em nosso lar temos de organizar e guardar …

Recentemente estivemos informados pela grande mídia televisiva do descredenciamento de uma corporação universitária que era mantenedora de duas conhecidas universidades: a Universidade Gama Filho (UGF) e a UniverCidade, ambas localizadas na cidade do …

Uma fanpage muito interessante é a intitulada “Arquivista da depressão”.  É muito divertida e nos traz informações relevantes sobre fatos absurdos envolvendo a profissão. Para quem não está familiarizado, uma fanpage é uma …

Ao caminhar em frente à Faculdade de letras da UFRJ, deparei-me com um sebo improvisado ao lado das lanchonetes. Achei-o interessante por ser um ambiente limpo e bem decorado para o que, usualmente, …

No mês de outubro comemoramos o centenário de Vinícius de Moraes, diplomata, jornalista, poeta e compositor brasileiro e tivemos o Exame Nacional de Seleção do ensino Médio – ENEM. Diante destes acontecimentos faço …

[…] Aquele grito assim inaudível na memória – no passado, no presente em todos os tempos […] nem é tão alto, mas vivo para sempre Aproveitando o sucesso do filme “Flores Raras”, produção …