0
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

A leitura obrigatória é um princípio educativo das escolas que realmente funcionam. Todos os anos, há uma lista de livros que os alunos precisam ler, a maioria dos quais não teriam lido por conta própria e simplesmente não querem ler. Quando as crianças e adolescentes são obrigados a fazer algo que não querem, eles desenvolvem, por um longo tempo, uma antipatia para essa atividade em geral.

Assim, a maioria das crianças que saem das escolas de ensino médio no Brasil odeiam livros e não querem ler. A maior parcela deles nunca vai ler um outro livro depois do colégio.

Aqueles que seguem para a faculdade são obrigados a fazer ainda mais leitura. Os livros são usados como um meio para um fim – passar nas disciplinas. O resultado é de jovens adultos que não gostam de leitura e só fazem quando têm de cumprir algum teste de conhecimento. Quase metade dos graduados universitários nunca vai ler um outro livro depois da faculdade.

Estes jovens vão crescer e se tornar adultos, com famílias. E 80% das famílias não comprou um livro no ano passado. Na verdade, 70% das pessoas nem sequer esteve em uma livraria nos últimos cinco anos. Crianças leem muito quando veem seus pais lendo, não quando eles são instruídos a ler. Quando os pais não gostam de ler, as crianças geralmente não se tornam leitoras também.

Isso é assustador

Ler é extremamente importante e valioso. Todas as pessoas bem-sucedidas que conheço são leitores vorazes. Pessoalmente, eu sei que a leitura é responsável pela maior parte do meu conhecimento e habilidades.

Se as pessoas não estão lendo, elas não estão acumulando novos conhecimentos, novas habilidades, novas ideias. Elas também não estão experimentando o prazer da leitura e da aprendizagem. Eu me mataria se eu não pudesse mais ler.

Eu acho que a leitura é uma indicação de curiosidade. Quando eu me interesso em algo, eu procuro ler sobre o assunto. A boa e velha leitura impulsiona novas curiosidades e interesses. É um ciclo maravilhoso, pelo qual a maioria dos brasileiros (e na maior parte do mundo) não passa.

Isso está prejudicando nosso país. Quando a maioria dos nossos cidadãos não estão a melhorar-se ativamente, aprendendo e sendo curiosos, a inteligência do nosso país como um todo degenera à insensatez.

A leitura estimula o pensamento crítico. A falta de pensamento crítico estimula o pensamento coletivo e preguiça mental. Pensamento coletivo e preguiça mental são tóxicos. Se o pensamento coletivo é capaz de matar empresas, certamente pode destruir um país também.

Permite diminuir o zoom para ter um olhar panorâmico de novo: leitura obrigatória > antipatia pela leitura > falta de leitura > falta de pensamento crítico, conhecimento > pensamento coletivo e preguiça mental > degeneração do Brasil.

Certamente há outros fatores que levaram ao mau estado mental de nosso país, como o entretenimento de massa. E o Brasil não está sozinho em nossa falta de leitura.

Olha, muitas pessoas são estúpidas. Você sabe disso, eu sei disso. Não é politicamente correto, não é agradável, mas é verdade. A leitura é uma cura para a estupidez.

Proponho uma emenda à leitura obrigatória nas escolas: as crianças escolhem os livros. Ou, qualquer solução que realmente incentive a leitura e a curiosidade. Em última análise, uma população educada é o único caminho a seguir.

Adendo: Estou falando de não-ficção tanto quanto de ficção.

Esse texto é uma tradução de Book Culture, texto original de Connors Groom.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Ph Lima e Rafucko

Próximo post

A visão de Perseu Abramo sobre a manipulação da grande imprensa

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *