1
Compartilhamentos
Redefinição de Impressão Google+

Por André Pena, da Tribuna do Mato Grosso

O Curso de Biblioteconomia no Campus de Rondonópolis da Universidade Federal de Mato Grosso passou por processo de avaliação do INEP/MEC (05 a 08 de agosto 2015) conquistando o conceito 4 (muito bom), numa escala, em que a nota máxima atribuída como ensino de excelência é 5. Na avaliação do Guia do Estudante o curso de Biblioteconomia da UFMT destaca-se com 4 Estrelas.
As disciplinas básicas do curso incluem Biblioteca e Ação cultural, Cultura Brasileira, Fundamentos de Comunicação, Fundamentos em Biblioteconomia, Documentação e Ciência da Informação e História dos Registros de Informação e de Transmissão Cultural e Epistemologia. O curso oferece, ainda, aulas de Administração, Estudos de Usuários, Gestão de Projetos, Gestão de Serviços, Marketing, Organização, Sistemas e Métodos, Organização e Administração de Bibliotecas e Planejamento. Bem como aulas de Representação Descritiva, Representação Temática, Editoração, Formação e Desenvolvimento de Acervos, Informação em Ciência e Tecnologia, Recursos Informacionais, Serviços de Referência e Informação, Gestão do Conhecimento, Gestão Eletrônica de Documentos, Informática Documentária.
Com essas disciplinas, o estudante adquire o conhecimento necessário para organizar conteúdos e tornar acessível à informação, executar as atividades técnicas inerentes à profissão, e administrar bibliotecas. O estágio curricular é obrigatório e exige-se, ainda, uma monografia de conclusão de curso.
– há 100 anos a Biblioteconomia é considerada profissão do futuro e figura nessas listas de profissões.
– visite as bibliotecas públicas e privadas perto da sua casa e tente conversar com os profissionais que trabalham lá.
– visite bibliotecas, pegue livros emprestados e avalie se o serviço está sendo bem feito.
– existem escolas de Biblioteconomia nas principais universidades brasileiras.
– geralmente o pessoal que faz Biblioteconomia segue para o mestrado e doutorado em Ciência da Informação.
– o salário inicial gira em torno de R$2 mil. Bibliotecários seniores ganham em torno de R$6mil. Mas tem bibliotecários que ganham R$20 mil.
– quase ninguém entra no curso como uma primeira opção de carreira.
– e o principal, quase todos saem do curso apaixonados pela Biblioteconomia.
O curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Mato Grosso é estruturado com a missão de propiciar formação universitária em nível de graduação e formar bacharéis em Biblioteconomia, também denominados de bibliotecários, com conhecimentos, competências e habilidades para discutir e solucionar questões relacionadas à seleção, à coleta, à organização, a representação, ao tratamento, à disseminação e ao acesso à informação e ao conhecimento em diferentes meios, formatos e suportes.
O bibliotecário de hoje, além de atuar nas bibliotecas, é ponto de referência nas empresas. Precisa estar inteirado de todos os setores, trabalha como articulador das informações e auxilia na pesquisa por soluções. O conceito da profissão é objetivo, tem como missão cuidar da informação e como função organizar, gerenciar, recuperar e disseminar o conhecimento.
O perfil almejado para os Bibliotecários formados pelo Curso de Biblioteconomia da Universidade Federal de Mato Grosso é o indicado pela Classificação Brasileira de Ocupações, ou seja, o bibliotecário é o profissional que “disponibiliza informação em qualquer suporte; gerencia unidades como bibliotecas, centros de documentação, centros de informação e correlatos, além de redes e sistemas de informação. Trata tecnicamente e desenvolvem recursos informacionais; dissemina informação com o objetivo de facilitar o acesso e geração do conhecimento; desenvolve estudos e pesquisas; realizam difusão cultural; desenvolvem ações educativas. Podem prestar serviços de assessoria e consultoria”.
O egresso deverá associar os saberes, as práticas e os valores tratados no transcorrer do curso para assumir uma atitude voltada a alcançar realização pessoal e crescimento profissional, estabelecendo para tanto um ambiente de trabalho e de relações sociais capazes de lhe permitir interagir no processo de gestão da informação, com visão interdisciplinar, preocupado com a formação de futuros leitores e habilitado a atender às necessidades de informação oriundas dos diversos setores da sociedade.
Finalizando, temos a argumentar que a atuação do profissional de Biblioteconomia tem se voltado cada vez mais para a criação e a manutenção de bancos de dados, para o incentivo à leitura e a gestão de bibliotecas públicas, escolares e universitárias, bem como atividades técnicas em centros de documentação, arquivos de empresas, centros culturais, editoras, provedores de internet, entre outros.

(*) André Pena é professor do curso de Biblioteconomia da UFMT e doutor em Ciência da Informação pela UFMG.

Cursos online de qualificação em Biblioteconomia e Ciência da Informação. Acesse!

Comentários

Comentários

Postagem anterior

Restaurador faz diagnóstico de museus e bibliotecas

Próximo post

UFRJ debate a inclusão de saberes populares na universidade

Sem comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *