I Seminário Diálogos Biblioo

I Seminário Diálogos Biblioo

Apresentação

Há quatro anos em circulação na forma digital e impressa, a Revista Biblioo têm procurado, mesmo que de forma modesta, contribuir com o debate de temas de interesse não só da classe biblioteconômica, como da educação e cultural em geral.

É o caso da Biblioteca Escolar, que já foi assunto de capa de duas edições e de uma série de artigos e entrevistas. Foi tema de capa, inclusive, da primeira edição da Revista lançada em junho de 2011.

Estando a Lei nº 12.244 de 2010, Lei da Biblioteca Escolar, prestes a completar cinco anos sem avanços aparentes, a Biblioo se propõe a chamar os interessados ao debate mais uma vez.

Assim, pretende juntar autoridades e a sociedade em geral para discutir o que tem sido e o que pode ser feito para que a referida lei se faça cumprir. A intenção é contar com a presença de bibliotecários escolares, professores, representantes do Ministério Público Federal, bem como do Conselho Regional de Biblioteconomia, além de estudiosos do tema.

Participe! Evento gratuito e sem inscrições.

Justificativa

Quando a Lei número 12.244 foi sancionada em 2010, a classe biblioteconômica vibrou, pois as novas regras pareciam indicar um mundo de possibilidades, sobretudo no campo profissional, como na abertura de novos postos de trabalho, seja para os bibliotecários, seja para os educadores, posto que a biblioteca seja um instrumento fundamental no processo de educação.

Cinco anos após sua entrada em vigor, a lei mostra seus primeiros percalços, cujos dilemas só agora, após um esboço de debate, começam a ser identificados.

Um desses problemas mais gritantes é exatamente a disparidade entre o número de bibliotecários e o número de estabelecimentos de ensino básico no Brasil o que, numa matemática rápida, obrigaria um bibliotecário a cuidar de 10 escolas, isso se todos os bibliotecários ativos do país (cerca de 18 mil, segundo dados do Conselho Federal de Biblioteconomia) largassem seus postos e passassem a se dedicar a este tipo de biblioteca o que, obviamante, não acontecerá.

Além disso, os números mostram pouquíssimos avanços em relação ao ano em que a lei entrou em vigor. Naquele ano, só 33,1% das escolas tinham bibliotecas; em 2013, eram 35%.

Essas e outras questões impele bibliotecários, professores, poder público e sociedade a se mobilizar para que a lei não caia no ostracismo e não se torne mais um instrumento normativo sem efeito.

As escolas precisam abrir suas portas ao debate. Propostas concretas precisam ser apresentadas de modo que a discussão não acabe descambando para o campo da retórica vaga e oportunista.

Objetivos

Objetivo geral

Discutir se houve e quais são os avanços trazidos pela Lei da Biblioteca Escolar em seus cinco anos de promulgação.

Objetivos específicos

– Interpelar os órgãos de fiscalização – Ministério Público Federal e Conselho Regional de Biblioteconomia – o que tem sido feito para se garantir a observância da lei por parte dos estabelecimentos de ensino básico;

– Apresentar duas experiências internacionais – Alemanha e Colômbia – da figura do professor-bibliotecário;

– Discutir resultados de pesquisas acadêmicas sobre o tema;

– Divulgar práticas bem sucedidas tanto de bibliotecas escolares que contam com bibliotecários, como daquelas em que um professor é responsável pelo espaço de leitura.

Data, horário e local do evento

O evento será realizado no dia 24 de junho de 2015, das 14:00 às 18:00h no Teatro Mário Lago – Colégio Pedro II – Campo de São Cristóvão, nº 177 – Rio de Janeiro – RJ (entrada pelo Campus 2).
Programação

Clique aqui para acessar a programação final do I Seminário Diálogos Biblioo.
Perguntas frequentes

Haverá entrega de certificado?

Sim. Serão entregues durante o evento.

É preciso realizar inscrição?

Não. O evento é livre, todos podem participar sem a necessidade de realizada inscrições.

O evento é pago?

Não. O evento é gratuito.

Contato

Para dúvidas e informações envie um email para [email protected].